Tamanho do texto

Caso um anúncio receba muitas avaliações negativas, ele poderá ser penalizado até mesmo com a exclusão do Facebook. Veja como vai funcionar

Facebook vai permitir que usuários avaliem anúncios e pode até excluir aqueles que receberem muitas avaliações negativas
shutterstock
Facebook vai permitir que usuários avaliem anúncios e pode até excluir aqueles que receberem muitas avaliações negativas

O Facebook informou nesta terça-feira (12) que permitirá aos usuários avaliarem os anúncios exibidos a eles na rede social. Como punição, aqueles que forem muito negativados podem acabar até sendo banidos da plataforma.

Leia também: Papua-Nova Guiné vai bloquear acesso da população ao Facebook por um mês

A medida quer impedir que empresas continuem fazendo anúncios muito invasivos ou enganosos e representa uma mudança de postura do Facebook. A empresa que se classifica como "um serviço suportado por publicidade" e não se responsabiliza pelo conteúdo gerado e divulgado dentro da plataforma, agora começa a tentar controlar de maneira mais rigorosa os anúncios que veicula.

Para que um usuário consiga avaliar um anúncio, porém, ele terá que acessar uma futura nova guia chamada de "atividade de anúncios" nas configurações do Facebook. A partir daí, poderão deixar comentários sobre anúncios que levaram à compra de produtos ou contratação de serviços de baixa qualidade, empresas que não entregam os itens no prazo declarado ou locais onde receberam mal atendimento, por exemplo.

As empresas, por sua vez, terão um prazo para melhorarem antes que medidas mais graves sejam tomadas, mas estão na relação redução na quantidade de anúncios que a empresa poderá veicular no Facebook e até uma suspensão total do anunciante na plataforma.

Leia também: Facebook e Instagram proíbem venda de animais nas redes sociais

"Acreditamos que essa ferramenta dará às pessoas mais confiança nos negócios com os quais elas interagem e ajudará a responsabilizar as empresas pelas experiências que elas oferecem aos clientes", afirmou o Facebook.

Facebook tenta recuperar prestígio

A mudança faz parte de uma sequência de decisões tomadas pelo Facebook que visam melhorar a experiência na plataforma, depois que a empresa se envolveu no escândalo de vazamento de dados de 87 milhões de usuários e recebeu uma enxurrada de críticas, perdeu valor no mercado e levou o seu CEO, Mark Zuckerberg, a ter uqe prestar esclarecimentos tanto no Congresso dos Estados Unidos quanto no do Reino Unido.

Após anunciar que estava mudando novamente seus algoritmos para passar a priorizar o alcance dos posts de seus amigos na rede social ao invés de posts de páginas ou empresas, agora o Facebook fecha ainda mais o cerco para os anunciantes.

Leia também: Google recua e afirma que não usará inteligência artificial para criar armas

A decisão, aparentemente contraproducente, é, no entanto, confortável para a rede social que tem planos de cada vez mais concentrar o tráfego da internet dentro da própria rede social. Penalizando os links que levam os usuários para outros sites e conseguindo priorizar anúncios que realizam as operações de compra e venda dentro da própria plataforma, o Facebook parece estar chegando mais perto de conseguir isso.

    Leia tudo sobre: Facebook
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.