Tamanho do texto

Ferramenta com inteligência artificial é capaz de corrigir erro ao analisar outras fotos e a expressão facial sem deixar com "aspecto computadorizado"

Novo recurso de Inteligência Artificial desenvolvido por engenheiros do Facebook permite correção em fotos que usuários piscaram e saíram com olhos fechados
Divulgação/Facebook
Novo recurso de Inteligência Artificial desenvolvido por engenheiros do Facebook permite correção em fotos que usuários piscaram e saíram com olhos fechados

Um estudo divulgado nesta segunda-feira (18) revelou que dois engenheiros do Facebook foram capazes de criar um sistema que é capaz de identificar quando alguém está piscando numa foto e corrigir a "imperfeição" com o uso da inteligência artificial . Assim, aqueles que não resistirem ao disparo de um flash, terão uma nova alternativa à disposição.

Leia também: Usuários do Uber no Brasil poderão dar gorjeta para motoristas pelo aplicativo

Os engenheiros da rede social, Brian Dollahnsky e Christian Canton, responsáveis pela criação explicaram que o mecanismo é capaz de estudar várias fotos em que o rosto do usuário aparece e entender como são suas expressões faciais quando ele está com os olhos abertos. Assim, a ferramenta não só "transplanta" seus olhos com as pálpebras abertas para a foto em questão como corrige distorções faciais para não deixar um aspecto computadorizado.

"Para o problema particular de transformações faciais, ela [a ferramenta] aprende não só a preservar características como iluminação ou o tom da pele mas pode também abranger alguma noção de plausibilidade semântica", escreveram os dois engenheiros.

Os colegas também explicam que através das técnicas de "machine learning", a inteligência artificicial vai se aprimorando e ficando cada vez mais fidedigna. Segundo eles "dando um conjunto de treinamento em quantidade adequada, a ferramenta irá aprender como um rosto humano 'deve' se parecer", afirmaram.

Leia também: Apple vai compartilhar localização de usuários que fizerem ligação de emergência

Já para corrigir o aspecto artificial de imagem tratada por Photoshop que ocorre quando uma montagem ou alguma modificação é mal feita, chamado formalmente de "uncanny valley", os dois engenheiros fizeram uso de um recurso geralmente usado para desenhar rostos do zero, chamada de Rede Adversarial Generativa (GAN, na sigla em inglês).

Essa técnica é utilizada para criar faces de celebridades que não existem (como os bots que estão ficando famosos no instagram) ou fazer alterações como testes que mostram com qual celebridade você se parece ou "como seria o filho" de determinada pessoa com outra pessoa.

Somanda os dois recursos (GAN e machine learning com reconhecimento facial), esse sistema aprende como são os olhos dos indivíduos e os reproduz da maneira mais fiel possível. Ele leva em conta o tamanho da cavidade ocular na foto em que o usuário aparece de olhos fechados, a posição do rosto, a iluminação sobre a pele e qual o efeito da luz sobre os olhos. A novidade ainda não tem prazo para ser implementada e começar a valer, mas, o que você achou do resultado dos testes divulgados até agora?

Leia também: Pesquisa revela que Claro é operadora com melhor desempenho de internet 3G e 4G

    Leia tudo sobre: Facebook
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.