Tamanho do texto

O presidente do Facebook declarou que mensagens serão integradas em um canal de comunicação "focado em privacidade" e com mais segurança. Veja

Mark Zuckerberg confirmou, em uma nota publicada no seu Facebook, a integração dos aplicativos de mensagens WhatsApp, Messenger e Instagram Direct
Reprodução/Flickr
Mark Zuckerberg confirmou, em uma nota publicada no seu Facebook, a integração dos aplicativos de mensagens WhatsApp, Messenger e Instagram Direct


A integração dos aplicativos de mensagens WhatsApp, Messenger e Instagram Direct foi anunciada, nesta quarta-feira (6), pelo presidente-executivo do Facebook, Mark Zuckerberg. Em janeiro, uma reportagem do jornal americano The New York Times já havia  adiantado a vontade do empresário em realizar a união das plataformas.

O presidente confirmou a integração dos aplicativos dos quais é dono através de uma publicação no Facebook. De acordo com ele, será possível acessar os contatos do WhatsApp, por exemplo, através de qualquer um dos outros aplicativos, e vice-versa. "Planejamos tornar possível que você mande mensagens aos seus contatos usando qualquer um dos nossos serviços", escreveu. 

Apesar da notícia, Zuckerberg deixou claro que a mudança ainda não tem data para acontecer e que será feita "dentro de alguns anos." Confira a publicação original:


Como vai funcionar a integração dos aplicativos

Integração dos aplicativos vai possibilitar que mensagens sejam recebidas em apps diferentes dos quais foram enviadas
shutterstock
Integração dos aplicativos vai possibilitar que mensagens sejam recebidas em apps diferentes dos quais foram enviadas


Atualmente, é preciso entrar em cada aplicativo separadamente para contatar um de seus usuários - e é isso que o dono do Facebook quer mudar: "Hoje, se você quiser mandar uma mensagem para alguém no Facebook, tem que usar o Messenger; no Instagram, o Direct; e, no WhatsApp, o WhatsApp . Queremos dar a opção de contatarem seus amigos de todas as redes com o app que preferirem", declarou.

Na prática, o que vai mudar é que os contatos de um determinado aplicativo poderão ser acessados através dos outros. A integração também vai possibilitar que uma mensagem recebida pelo Instagram Direct, por exemplo, seja recebida no Messenger , dependendo da escolha de quem a escrever.

Leia também: Mandou e se arrependeu? Aprenda a apagar mensagens do Facebook Messenger

Outra novidade será nos Stories : as reações de seus amigos aos stories do Instagram e do Facebook, por exemplo, apareceção em um lugar único. O serviço de integração de apps também pode englobar, mais para frente, os SMS (Short Message Service, ou serviço de mensagens curtas, em português), que ainda é muito usado pelo público norte-americano.

Apesar das mudanças, Zuckerberg adiantou que os aplicativos não se tornarão uma única plataforma, apenas passarão a operar de forma conjunta.

Novidade será "focada em privacidade", diz Zuckerberg

Integração dos aplicativos deve trazer maior privacidade aos usuários, disse Mark Zuckerberg
Divulgação
Integração dos aplicativos deve trazer maior privacidade aos usuários, disse Mark Zuckerberg


Criticado pelos diversos escândalos de vazamento de dados e falta de privacidade nos quais o Facebook se envolveu nos últimos anos, o presidente da empresa disse que a integração dos aplicativos será "focada em privacidade ".

"Acredito que uma plataforma de comunicações com foco em privacidade se tornará mais importante do que as plataformas abertas de hoje", declarou. Segundo ele, a mudança trará mais interações particulares, criptografia e armazenamento seguro.

Leia também: WhatsApp vai permitir que usuário escolha se quer ser adicionado em grupos

Zuckerberg também disse que a integração dos aplicativos visa a comunicação mais próxima entre usuários, o que tem sido uma tendência mundial: "Hoje em dia já vemos que as mensagens privadas, os 'stories' efêmeros e os pequenos grupos são de longe os formatos de comunicação on-line que crescem mais rápido".

    Leia tudo sobre: Facebook
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.