Tamanho do texto

Para quem não quer gastar muito, mas também não deseja abrir mão de algumas funcionalidades, os celulares intermediários são uma boa opção

Com tantas novidades sendo lançadas a cada semana - e o preço dos aparelhos aumentando na mesma velocidade -, parece impossível encontrar celulares que atendam as necessidades básicas de quem quer um smartphone razoavelmente tecnológico e que tenha um preço acessível.

Leia também: Leia também: Saiba como baixar fotos do Instagram

undefined
shutterstock
A procura por um celular de até R$ 1.000 que atenda suas necessidades nem sempre é fácil, mas é necessária para que o barato não saia caro

Mas, apesar das apostas em aparelhos top de linha, marcas como Samsung, Motorola, Asus e LG também possuem boas opções - leia-se "modelos de  celular de até R$ 1.000 " - que não chegam a ser completamente básicas e podem satisfazer quem procura uma experiência que inclua câmeras interessantes, desempenho que não decepciona e bateria que não te deixa na mão antes de o dia terminar. 

Celular de até R$ 1.000: escolha o melhor

Pensando nisso, fizemos uma lista com os celulares mais novos das principais marcas, que representam o melhor custo benefício para quem busca a combinação "preço baixo e performance atraente" na hora de comprar um smartphone.

Moto G7 Play

Celular Moto G7 visto de frente e de costas
Divulgação/Motorola
O Moto G7 se destaca por fazer vídeos em 4K, mas perde pontos pela memória RAM de 2GB
  • Por que é bom? Quem disse que gravar vídeos em 4K é coisa de celular top de linha? O Moto G7 Play, da Motorola, te prova que é possível filmar com resolução Ultra HD sem precisar desembolsar muito. 

O modelo vem com todas as funcionalidades básicas, com câmeras que fazem boas fotos - suficiente para quem usa apenas para compartilhar nas redes sociais, por exemplo -, bateria aceitável e um design compacto.

  • O que devo considerar? Usuários mais exigentes podem se decepcionar com a memória RAM de apenas 2 GB, o que não corresponde aos padrões atuais, de 4 GB, fazendo com que o aparelho não seja tão ágil ao carregar alguns aplicativos, por exemplo. No entanto, pelo preço, e pela categoria em que ele se encontra, não há muito mais o que reclamar.

Zenfone 3

Celular Zenfone visto de frente e de costas
Divulgação/Asus
O conjunto de hardware e as câmeras são os pontos fortes do Zenfone 3. Contudo, o celular não é dos mais novos e, por isso, o sistema operacional não agrada muitos
  • Por que é bom? Apesar de não ser um lançamento, esse é um dos aparelhos mais novos da Asus que ainda cabe no orçamento de até R$ 1 mil. O conjunto de hardware e as câmeras (a traseira tem 16 MP, abertura F2, flash duplo de LED e ainda grava em 4k) são os grandes destaques do celular. O armazenamento de 32 GB é suficiente para a maioria dos usuários.


  • Por que devo considerar? A bateria não é lá das mais espetaculares. O sistema operacional também não é dos mais novos, o que significa que vem modificado, com apps desnecessários instalados de fábrica. Além disso, por ser um celular mais antigo e não mais o “carro chefe” da Asus, você pode ter um pouco de dificuldade em encontrá-lo no mercado.


Leia também: Saiba por que sistemas de GPS de todo o mundo podem parar no dia 6 de abril

LG K12 Plus

Celular da LG
Divulgação/LG
Mais resistente, o modelo da LG também conta com inteligência artificial incorporada à câmera. Mas a bateria não é das mais duradouras
  • Por que é uma boa? Um dos mais novos da nossa lista, o LG K12 Plus foi lançado em 27 de março de 2019 e tem uma ficha técnica interessante. O dispositivo conta com certificação militar MIL-STD 810G, diferencial interessante para quem é desastrado, já que significa que o K12 suporta um maior número de quedas sem quebrar facilmente.

Para os que querem fotos com qualidade, o aparelho conta com uma câmera traseira de 16 MP, enquanto as selfies ficam por conta de uma câmera de 8 MP. Outro destaque é a inteligência artificial incorporada à câmera, que proporciona todos os ajustes conseguir fazer fotos melhores.

  •  Por que devo considerar? O desempenho está dentro da categoria, mas não é nada grandioso. A autonomia da bateria fica abaixo do esperado, já visto em outros aparelhos intermediários, por exemplo.

 Galaxy J8

Celular Galaxy J8
Divulgação/Samsung
A câmera dupla traseira e o acabamento reforçado agradam bastante, mas você pode sentir falta de uma resolução full HD e um processador mais potente
  •  Por que é bom? A tela ampla de 6 polegadas com ótima qualidade e cores bastante vivas, a câmera dupla na traseira e o acabamento reforçado agradam e se destacam entre os demais aparelhos da categoria.

Além disso, o Galaxy J8 oferece uma ótima duração de bateria, e seu desempenho é mais rápido que os aparelhos nessa faixa de preço.


  • Por que devo considerar? Com algum esforço, é possível encontrar o aparelho pela faixa de preço estipulada pela lista. Pensando no valor, uma resolução full HD e um processador mais potente cairiam bem.



Xiaomi Mi A2 Lite

Celular Xiaomi Mi A2 Lite
Divulgação/Xiaomi
O Xiaomi Mi A2 Lite, além de vir com o Android One, também conta com um bom desempenho - ideal para quem gosta de jogos pesados
  • Por que é bom? Tido como um dos melhores celulares até R$ 1.000, o aparelho da chinesa Xiaomi conta com o sistema operacional Android Vanilla e se beneficia com o projeto da Google conhecido como Android One, que aprimora o uso do aparelho.

Mesmo sendo vendido em sua versão Lite, ou seja, mais “leve”, o aparelho não fica atrás no quesito desempenho quando comparado com sua versão tradicional - boa notícia para quem gosta de jogos no celular, por exemplo.

  • Por que devo considerar? A tecnologia NFC não está inclusa no aparelho e ele também não suporta a captura de vídeos em qualidade 4K.



Leia também: Novidade no WhatsApp: agora você escolhe quem pode te colocar em grupos

Agora que você já conhece os modelos de celular de até R$ 1.000 , é só escolher o que melhor atende às suas necessidades. Já tem algum preferido? Dê sua opinião aqui.