Tamanho do texto

Um gerenciador de senhas pode facilitar a sua vida na hora de acessar ou criar uma nova conta, mas é preciso alguns cuidados para ter mais segurança

Um gerenciador de senhas pode ser uma opção atrativa para quem tem contas em muitos sites e redes sociais diferentes. A febre começou como uma alternativa à opção de salvar a senha no próprio navegador que você usa.

Leia também: Site ajuda usuários a descobrirem se suas senhas foram vazadas na internet

Post-it colado sobre um notebook com a senha
shutterstock
Substituir o post-it por um gerenciador de senhas está na moda, mas seria essa alternativa uma solução definitiva?

Segundo Arthur Igreja, professor da Fundação Getúlio Vargas e especialista em Tecnologia e Inovação, essa ascensão do gerenciador de senhas foi proporcionada pela questão da segurança de armazenamento de dados.

"Está sendo recomendado porque os navegadores têm tido alguns escândalos, são os mais visados para ataque e são os mais frágeis", explica o especialista sobre as causas desse crescimento da ferramenta.

Como funciona o gerenciador de senhas?

Holograma de senha sobre um laptop
shutterstock
O objetivo do gerenciador de senhas é garantir acesso fácil a todas as suas palavras passe de onde você estiver

Segundo Vinicius Durbano, especialista em segurança digital e CEO da Eco IT, o objetivo dos gerenciadores é maximizar a segurança de credenciais de acesso, uma das vulnerabilidades dos navegadores.

"O objetivo é você armazenar aquele monte de senhas que possui hoje, possibilitando que tenha senhas complexas (mais seguras), sem ter o risco de esquecê-las ou anotá-las em locais de fácil acesso", complementa.

Ou seja, além de tentar manter seus dados seguros, os gerenciadores visam permitir que o usuário consiga variar mais na hora de criar uma senha, sem ter o problema de perder o acesso toda vez que esquecer a palavra passe.

Além disso, esses programas não se limitam ao armazenamento em nuvem , como explica Rodrigo Antao, especialista em segurança cibernética e sócio da GC Security.

"Há dois tipos de cofre de senha : os online, que são sincronizados com suas respectivas nuvens; e os offline, que armazenam as senhas em um arquivo dentro do aparelho do usuário".

Um gerenciador para cada senha: as opções disponíveis no mercado

Holograma de nuvem projetado sobre a mão de um homem
shutterstock
O armazenamento em nuvem é uma das opções de cofre de senha, que também pode armazenar os dados no seu aparelho

E, apesar de a função ser bastante simples, isso não significa que as opções de softwares e apps que façam isso seja escassa. Pelo contrário, muitas empresas, inclusive de antivírus como Norton, Kaspersky e Avast, já criaram suas próprias plataformas de armazenamento em nuvem para senhas.

O nome do criador, no entanto, não necessariamente significa uma superioridade técnica sobre outros aplicativos e programas semelhantes, como argumenta Arthur.

Segundo o professor da FGV, a principal vantagem vem "do ponto de vista da marca. As pessoas lembram mais, vão recorrer mais porque se conectam mais com essas marcas e elas já são sinônimo de segurança. É uma vantagem mais de marketing".

Nessa concorrência por usuários, alguns serviços procuram se diferenciar pela gratuidade, enquanto outros aproveitam a oportunidade para cobrar pelo uso do serviço de cofre de senha.

Para Vinicius, escolher a gratuidade pode ser um risco para quem deseja proteger suas senhas dos hackers. "Todas as opções gratuitas, apesar de atrativas, não garantem a segurança das suas senhas, até porque você não tem um contrato com essas empresas para que possa exigir esta segurança", avalia.

Isso não quer dizer, contudo, que as opções pagas são à prova de balas. "As opções pagas podem ser mais confiáveis, mas ainda existe a possibilidade de vazarem as suas senhas sem você ficar sabendo", complementa.

Se você está pensando em usar um gerenciador de senhas, essas são algumas das recomendações de Vinicius Durbano e Arthur Igreja:

  1. KeePass (disponível para Windows)
  2. LastPass (disponível para Android, iOS e como plug-in para navegadores)
  3. Dashlane (disponível para Android, iOS, macOS e Windows)
  4. Sticky (disponível para Android, iOS, macOS e Windows)
  5. 1Password (disponível para Android, iOS, Linux, macOS e Windows)
  6. Keeper (disponível para Android, iOS, Linux, macOS e Windows)
  7. Zoho Vault (disponível para Android e iOS)

Leia também: Esqueci minha senha do Facebook, e agora? Veja como recuperar sua conta

Os cuidados necessários com o gerenciador de senhas

Livro trancado com corrente e cadeado
shutterstock
Se preferir anotar suas senhas numa caderneta, é bom guardá-la num local tão seguro quanto o gerenciador de senhas

Já que não há nenhuma garantia da infalibilidade do armazenamento em nuvem (ou nos dispositivos), são necessários alguns cuidados na hora de se inscrever num programa de gerenciamento de senhas.

A principal delas, segundo Vinicius, é habilitar o duplo fator de autenticação, desde o seu email até o WhatsApp. "Isso dará mais garantia que, mesmo que sua senha seja vazada, você não terá problemas com segurança", afirma.

Leia também: O que os hackers fazem com senhas furtadas?

E se você está pensando em manter as senhas anotadas na boa e velha caderneta, Rodrigo tem uma recomendação bem humorada para quem é mais old school. "[Pode usar], desde que a agenda possa estar também num cofre de verdade", brinca ele sobre o uso de um gerenciador de senhas à moda antiga.