Tamanho do texto

Segundo especialista, ao exigir uma "senha extra" para acessar conta, a verificação cria barreiras virtuais — o que dificulta o trabalho dos hackers

Os desenvolvedores das redes sociais estão buscando cada vez mais alternativas de proteger a privacidade do usuário — ainda mais depois dos golpes do WhatsApp  . Um dos mecanismos que está sendo bastante usado nessa questão de segurança é ativação da verificação em duas etapas, que está disponível para diversos apps e exige uma senha de acesso.

verificação em duas etapas
Shutterstock
A verificação em duas etapas funciona como uma 'segunda senha' para confirmar quem é o dono de uma conta virtual

Ao iG Tecnologia , Diego Felipe Bezerra, técnico da rede de assistência técnica Suporte Smart, explica que a verificação em duas etapas nada mais é do que um dispositivo de segurança para impedir o acesso não autorizado às contas virtuais, que incluem redes sociais e e-mails. Isso funciona como uma segunda senha, além daquela já usada para o login, para confirmar quem é realmente o dono da conta. 

"Com ela, o usuário tem a chance de 'provar' sua identidade por meio de uma senha temporária, ou seja, que é utilizada uma única vez. Esse código pode ser enviado por um SMS ou criado em um token, por exemplo. Esse método é solicitado sempre que o login for efetuado em um aparelho desconhecido", comenta. 

Em caso de contas que não exigem senha para login, como o WhatsApp, a verificação funciona de outra forma. "Ao ativá-la, o usuário cria uma sequência de números que será solicitada automaticamente toda vez que sua conta do WhatsApp for ativada num novo dispositivo, além do número enviado por mensagem de texto." 

Leia também: Telegram x Whatsapp: como funciona a privacidade desses apps de mensagens?

Usar a verificação em duas etapas é mais seguro?

verificação em duas etapas
shutterstock
Segundo especialista, a verificação em duas etapas ajuda a manter as contas em segurança porque cria 'barreiras' virtuais


Segundo Diego, essa verificação é o que impede que uma conta seja invadida por terceiros — já que assim que um hacker tentar entrar na conta por outro dispositivo, será exigido o token. Isso cria diversas "barreiras" virtuais para possíveis invasores. 

"O  roubo de senhas é um risco constante para quem usa a internet, ainda mais porque muitos criminosos criam novas páginas para simular sites de logins originais, fazendo com que as pessoas coloquem as suas senhas e entreguem os seus dados de acesso. Esse método reduz drasticamente as chances de uma conta ser acessada indevidamente."

O especialista afirma que a ativação desse mecanismo é ainda mais importante para quem usa senhas consideradas "fracos", como a sequência 1234, por exemplo. "Hoje, o  antigo método que usa apenas 'usuário e senha' já não é mais seguro por causa de códigos assim." 

Leia também: Criptografia de ponta a ponta protege conversas no WhatsApp; como funciona?

Como ativar a verificação em duas etapas?

verificação em duas etapas
Shutterstock
Para ativar a verificação em duas etapas, basta ir nas configurações de segurança das suas contas virtuais ou redes sociais

Diversos aplicativos como o Facebook, WhatsApp, Google, e-mails, e YouTube, por exemplo, já utilizam o recurso, tanto nas versões para Android quanto para iOS. A forma de ativá-lo é, basicamente, a mesma: procure a opção "Segurança" dentro das configurações da conta e lá deve existir a opção de ativar esse mecanismo.

Diego indica ter cuidado na hora de digitar o e-mail de cadastro ou o número de celular para qual o código de autenticação será enviado. "É preciso cadastrar endereço de e-mail autêntico e lembrar da senha para não correr o risco de ficar sem acesso à sua conta caso esqueça o PIN." 

Porém, se você esquecer, não se precupe! A verificação em duas etapas não vai apagar seus dados caso você não lembre como acessar a conta. "No caso do WhatsApp, por exemplo, o app permite editar as informações da verificação a qualquer momento. Usuários podem alterar o código de combinação, ou mudar o e-mail cadastrado para recuperar a senha", acrescenta.