internet arrow-options
Unsplash/McKaela Lee
A presença de crianças na internet pede cuidados


Nesta terça-feira (11), se comemora o Dia da Internet Segura . Mundialmente, a data é lembrada por mais de 140 países através da Rede Insafe e, aqui no Brasil, quem organiza os eventos é a Safernet

No Dia da Internet Segura , se discute e estimula um uso mais livre e seguro da rede, pensando em formas de criar experiências mais responsáveis na internet . E nada mais desafiador do que fazer com que crianças utilizem a rede de forma segura. 

Hoje, 75% das crianças brasileiras acessam a internet mais de uma vez ao dia, de acordo com a pesquisa TIC Kids Online 2018. E, embora o uso seja vasto, ele não é controlado. Segundo dados da Kaspersky,  52% dos pais não veem necessidade em regular a atividade online de seus filhos. 

Leia também: Messenger Kids dá mais controle aos pais; confira as novas ferramentas

Fernando Collaço, head de conteúdo e comunicação da PlayKids, empresa se conteúdo educativo para crianças , diz que, apesar da presença das crianças na internet ser inevitável e importante, ela também traz alguns riscos. "As possibilidades da internet são infinitas e devemos considerar que é uma rede na qual as crianças podem encontrar de tudo. Podem ter contato com pessoas desconhecidas e conteúdo inadequado, até sofrer cyberbullying e outros tipos de ataque”, afirma. 

No Dia da Internet Segura , confira algumas dicas para deixar o ambiente virtual mais saudável para seus filhos:

1. Direcione o uso que as crianças terão

É muito importante acompanhar o uso da internet pelas crianças, sempre promovendo o diálogo e direcionando conteúdos que façam sentido para a idade e momento dos pequenos. 

Leia também: Menino de oito anos é YouTuber mais bem pago de 2019

"A saída não é negar o uso da internet ou proibir. Vivemos em uma era de completa transformação digital e as crianças vão usar tablets, celular e computadores cada vez mais cedo. O que é fundamental é o direcionamento os pais para aplicativos específicos para crianças, por exemplo. Os pais e responsáveis têm esse papel de mediar o uso da tecnologia e guiar os pequenos, que ainda não têm discernimento para entender esses perigos e algumas consequências do uso indevido da internet", aconselha Fernando. 

2. Entenda que os dados das crianças são valiosos

Na internet, a moeda de troca geralmente são nossos dados . Por isso, é sempre muito importante ler todos os termos de uso e privacidade de cada aplicativo utilizado pelos pequenos, para ter certeza de que os dados das crianças estarão protegidos e não serão utilizados para fins negativos. 

3. Estimule a visão crítica das crianças

Um aspecto bastante importante para o uso saudável da internet é saber olhá-la de forma crítica, entendendo quais os seus riscos e como se proteger deles. Através do diálogo, é essencial estimular isso também nas crianças, para que elas desenvolvam desde cedo um olhar crítico frente aos assuntos digitais. 

Leia também: Papa Francisco dá alerta a empresas de tecnologia sobre proteção de crianças

Uma forma de estimular essa questão é através das publicidades . Navegando na rede, os pequenos vão se deparar com diversos conteúdos, e as intenções comerciais das empresas nem sempre ficam claras para as crianças. Um canal no YouTube de um influenciador-mirim, por exemplo, pode ter diversas publicidades que passam despercebidas pelas crianças, e é interessante que elas saibam discernir. 

4. Prefira plataformas e aplicativos infantis

Ferramentas desenvolvidas exclusivamente para crianças tendem a se preocupar mais com a questão dos dados e da publicidade . Por isso, além de estar atento aos termos de uso e conversar com os pequenos sobre as propagandas, prefira aplicativos e plataformas desenvolvidos exclusivamente para o público infantil.

Leia também:  Vale a pena monitorar o celular dos filhos? Entenda os apps de controle parental

5. Use um aplicativo de controle parental

Para proteger as crianças, nada melhor do que saber e controlar por onde elas navegam e a quais conteúdos têm acesso. E é justamente isso que permitem os aplicativos de controle parental . A recomendação, porém, é de que o diálogo esteja sempre presente, para que os pequenos não sintam que tiveram a privacidade invadida pelos pais.

    Veja Também

      Mostrar mais