startups arrow-options
shutterstock
Startups se unem remotamente para solucionar problemas impostos pelo isolamento social


O momento de isolamento social tem imposto desafios a todos, desde empresas e governos até a sociedade civil. Mas já tem gente olhando para tudo isso com olhar empreendedor , tentando criar soluções tecnológicas que consigam resolver esses problemas. 

É o caso de mais de 50 startups brasileiras e colombianas que se uniram na plataforma 100 Open Startups. No sistema, desafios são lançados todos os dias, e as soluções precisam vir de forma rápida. “Acreditamos no poder da colaboração e da rede para enfrentarmos este desafio rapidamente, reduzindo ao máximo seu impacto na sociedade”, afirma Bruno Rondani, CEO da 100 Open Startups.

Leia também: IBM, Amazon e Google se unem para usar supercomputadores contra o coronavírus

A plataforma funciona conectando essas startups a empresas, governos e órgãos da sociedade civil que estão enfrentando desafios. De um lado, as entidades cadastram suas dificuldades e, de outro, as startups contribuem com suas soluções

No meio de campo, a 100 Open Startups mapeia os problemas mais recorrentes e os organizam por categorias de desafios, como home office e trabalho a distância, saúde e tratamentos, varejo, comércio e logística, educação, informação e conscientização, entretenimento e mobilidade. 

Leia também: Serviços de streaming diminuem qualidade para não sobrecarregar rede de internet

“Estamos focados em demandas concretas de empresas, governo e sociedade civil, organizando-as no formato de desafios de inovação. Vamos fazer a curadoria de centenas de startups levando também em consideração as diversas demandas regionais. Nosso compromisso é divulgar cada desafio cadastrado em até 24 horas para as comunidades de startups e, em outras 24h, disponibilizar uma lista de soluções mapeadas e ranqueadas”, explica Bruno.

    Veja Também

      Mostrar mais