computador
shutterstock
Computadores se unem para ajuda em pesquisas científicas


Já pensou em ajudar na busca por uma cura para a Covid-19 ? Isso já é possível apenas com o poder computacional do seu PC , laptop ou Mac . A IBM anunciou nesta quinta-feira (2) um projeto que une o processamento de diversas máquinas voluntárias para ajudar na pesquisa científica

A arte científica do projeto é liderada pela Scripps Research, um centro de pesquisa médica norte-americano sem fins lucrativos. Stefano Forli, diretor do projeto, afirma que as pequenas ajudas das pessoas se tornam um imenso poder computacional capaz de auxiliar, e muito, os cientistas. 

Leia também: App permite doar testes de Covid-19 para comunidades cariocas

“Aproveitar o poder de processamento não utilizado de milhares de computadores ociosos nos fornece uma quantidade incrível de poder computacional para examinar virtualmente milhões de compostos químicos. Nosso esforço conjunto com voluntários em todo o mundo visa acelerar nossa busca por novos e potenciais candidatos a medicamentos que ajudem em ameaças biológicas emergentes presentes e futuras, seja o COVID-19 ou um patógeno totalmente diferente”, afirma o pesquisador. 

Como funciona?

Para ajudar o projeto, não é preciso ter nenhum conhecimento técnico, já que o programa roda automaticamente. Os únicos pré-requisitos são acesso a internet e vontade de ceder seu poder computacional para cientistas, por menor que ele seja. 

Acessando este link , qualquer usuário pode instalar em seu computador, laptop ou Mac um programa que vai realizar pequenos experimentos virtuais para identificar compostos químicos que poderiam servir para o tratamento da Covid-19 . Os compostos que se mostrarem mais eficazes nesses testes virtuais serão submetidos a mais análises por pesquisadores.

Leia também: Snapchat e OMS criam filtros para incentivar o isolamento social

O programa roda nos computadores dos voluntários quando as máquinas estão ociosas ou com pouco uso. De acordo com a IBM , ele opera em segundo plano de forma discreta e sem diminuir a velocidade do sistema. “O aplicativo distribui atribuições computacionais e retorna cálculos concluídos aos pesquisadores, tudo via nuvem da IBM”, explica a empresa em nota. “As informações pessoais nunca são compartilhadas e o software não pode acessar arquivos pessoais ou comerciais”, garante a IBM.

Plataforma ajuda a ciência

A plataforma da IBM onde os testes de medicamentos para a Covid-19 serão hospedados, chamada World Community Grid, já ajudou na pesquisa para a cura de diversas outras doenças . Até hoje, mais de 770 mil pessoas e 450 organizações contribuíram com quase 2 milhões de anos de poder computacional, e mais de 30 projetos científicos foram apoiados. 

Leia também: Isolamento social: Facebook cria ferramenta para pedir ajuda aos vizinhos

Dentre eles, estudos sobre câncer, Ebola, Zika, malárias e AIDS já se beneficiaram do voluntariado de pessoas em todo o mundo. Para Guillermo Miranda, vice-presidente de responsabilidade social corporativa da IBM, essa também é uma forma de fazer com que as pessoas se sintam parte de grandes descobertas científicas. 

"O World Community Grid da IBM é um recurso que não apenas ajuda os cientistas a acelerar um trabalho vital em larga escala, mas também oferece aos voluntários uma sensação de empoderamento, de se juntar a outros em todo o mundo para fazer a diferença. Durante um período de distanciamento e isolamento social, esse senso de propósito e interconexão é ainda mais importante", opina o executivo.

    Veja Também

      Mostrar mais