Tinder arrow-options
Unsplash/Kon Karampelas
Tinder bate recorde de uso


O Tinder bateu recorde de uso durante o período de isolamento social causado pela pandemia do novo coronavírus (Sars-Cov-2). Em um único dia, mais de 3 bilhões de swipes (quando o usuário desliza a tela para curtir os crushes) foram feitos. 

O número alto é consequência do uso massivo da ferramenta Passaporte , que foi liberada gratuitamente para todos os usuários no final de março. Com ela, os usuários podem ir além do raio estipulado pela plataforma e encontrar pessoas em lugares específicos, “viajando” até eles. 

Leia também: Mais contatinhos na quarentena: Tinder libera recurso Gold para todos

Com o Passaporte, o usuário busca por uma cidade no mapa e começa a curtir, dar match e conversar com pessoas que vivem naquela localidade. O recurso é originalmente pago mas, quando o liberou para todos, o Tinder se justificou dizendo que poderia haver uma troca cultural interessante nesse período de isolamento. 

“Esperamos que você use o recurso do Passaporte para escapar virtualmente da quarentena para qualquer lugar do mundo. Você pode encontrar gente no mundo inteiro que está passando pela mesma situação. Ou, pelo menos, pode aprender a dizer ‘oi’ em outro idioma”, disse o Tinder em comunicado oficial.

Leia também: Tinder do Telegram? App de mensagens cria recurso para encontrar pessoas

E, sem poder sair de casa, os usuários brasileiros têm viajado bastante pelo aplicativo. No mundo todo, a cidade que mais usa o recurso Passaporte é São Paulo . E, dentre os brasileiros, a capital paulista é o destino mais escolhido para flertar. Confira os destinos queridinhos dos usuários do Tinder :

As 5 cidades mais visitadas por brasileiros no Tinder

  1. São Paulo
  2. Nova Iorque
  3. Rio de Janeiro
  4. Los Angeles
  5. Londres


As 10 cidades mais visitadas no mundo no Tinder

  1. Los Angeles
  2. Nova Iorque
  3. Londres
  4. Paris
  5. Amsterdã
  6. Madrid
  7. Tóquio
  8. Barcelona
  9. Seul
  10. Estocolmo

    Veja Também

      Mostrar mais