Apple
Unsplash/Medhat Dawoud
Apple é processada por homem que pede US$1 trilhão


Um homem está movendo seu segundo processo contra a Apple nos Estados Unidos, desta vez pedindo US$1 trilhão de indenização (cerca de R$4,9 trilhões, em conversão direta). Raevon Terell Parker acusa a empresa de ter roubado seu iPhone 7 , o que teria rendido à gigante a "descoberta" de diversas novas funcionalidades. As informações são do portal Apple Insider. 

Leia também:

Black Lives Matter: Apple Maps atualiza imagens de satélite para mostrar mural

iPhone 13 diferente: site vaza possíveis imagens dos próximos celulares da Apple

Homem descobre falha de segurança da Apple e é premiado em R$500 mil

No processo, ele alega que seu celular foi roubado pela Apple depois que ele o deixou em uma das lojas da empresa para reparo. Segundo ele, seu iPhone 7 era "único" e "o primeiro a trazer funções inéditas" que, depois, foram lançadas no iOS 12

Parker afirma que foi com o seu iPhone 7 que a empresa descobriu funções como as chamadas em grupo no Facetime . Com esta alegação, o homem processou a Apple pela primeira vez em 2019, exigindo da empresa US$2 trilhões (cerca de R$9,7 trilhões, em conversão direta). Na ocasião, ele perdeu o processo depois do juiz dispensar o caso. 

Agora, em um novo processo, Parker alega ser o dono das patentes do iOS 12.0.1 e iOS 13, pedindo a indenização de US$1 trilhão.

Conforme processo ao qual o portal Apple Insider teve acesso, em 2019, o valor da indenização era descrito da seguinte forma:

  • iPhone 7: US$ 1 trilhão;
  • iOS 12: US$ 1 trilhão;
  • O psicológico de Raevon Terell Parker: inestimável;
  • Total exigido: US$ 2 trilhões

Agora, ele exige da empresa US$1 trilhão. A indenização seria para compensar "hospitalização, gastos com viagem, estresse, humilhação, constrangimento e difamação de caráter". No processo, Parker ainda acrescenta: "não acho que há compensação para o reclamante ser chamado de louco".

    Veja Também

      Mostrar mais