Privacidade dos usuários está em jogo
Unsplash/Tobias Tullius
Privacidade dos usuários está em jogo

O chefe do WhatsApp, Will Cathcart, criticou o  novo sistema da Apple que pretende analisar fotos feitas em iPhones e outros dispositivos iOS para encontrar potenciais abusadores infantis. Através do Twitter, Cathcart afirmou, na última sexta-feira (6), que a ferramenta pode trazer danos à privacidade dos usuários.

"Eu li a informação que a Apple divulgou ontem (quinta-feira, 5) e estou preocupado. Acho que essa abordagem é errada e um revés para a privacidade das pessoas em todo o mundo. As pessoas perguntam se vamos adotar esse sistema para o WhatsApp. A resposta é não", escreveu.

O sistema anunciado pela Apple na semana passada, que passa a funcionar inicialmente apenas nos Estados Unidos, irá analisar imagens antes que elas sejam adicionadas ao iCloud. Com ele, uma inteligência artificial irá identificar imagens de abuso infantil, bloqueando usuários criminosos e informando as autoridades locais.

Para Cathcart, há outras formas de conter abuso sem prejudicar a privacidade dos usuários. "Em vez de se concentrar em tornar mais fácil para as pessoas relatarem o conteúdo compartilhado com elas, a Apple criou um software que pode escanear todas as fotos privadas do seu telefone - até mesmo fotos que você não compartilhou com ninguém. Isso não é privacidade. Temos computadores pessoais há décadas e nunca houve uma ordem para verificar o conteúdo privado de todos os desktops, laptops ou telefones em todo o mundo em busca de conteúdo ilegal. Não é assim que funciona a tecnologia desenvolvida em países livres", escreveu ele.

Além dessa preocupação, o chefe do WhatsApp também criticou o sistema alegando que ele pode ser explorado por hackers. "O que acontecerá se alguém descobrir como explorar esse novo sistema?", questionou. Além de Cathcart, outros especialistas em segurança digital demonstraram preocupação com o novo sistema da Apple.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários