Fábio Faria, ministro das Comunicações
Isac Nóbrega/PR
Fábio Faria, ministro das Comunicações

O leilão do 5G, que se iniciou na quinta-feira  (4) e continua nesta sexta-feira (5), está sendo um sucesso na visão do ministro das Comunicações, Fábio Faria.

"A grande vantagem desse leilão é ele ter sido não arrecadatório, o que garantiu os investimentos. Até agora, já temos quatro novas operadoras no mercado brasileiro", disse ele, em entrevista ao jornal O Globo.

O ministro disse, ainda, que acredita que haverá uma briga entre as companhias de telecomunicações na disputa por qual será a primeira a oferecer o 5G no Brasil, que é o primeiro país da América Latina a ter a tecnologia. "Acho que vai ter uma briga das teles para ver quem vai ser a primeira da América Latina. Eles vão brigar, e vamos só festejar", disse.

Perguntado sobre as legislações restritivas de antenas na maior parte do Brasil, Faria afirmou que prefeitos serão pressionados. Atualmente, apenas 19 municípios brasileiros estão preparados para receber o 5G .

Leia Também

"Temos esse problema com as legislações municipais. No ano passado, começamos a conversar com várias cidades. Mas o apelo das operadoras vai ser muito grande e do governo também. A cidade que não queira implantar rapidamente, vai ser muito ruim para o prefeito e para as Câmaras municipais. Quem não fizer isso vai ser responsável pelo atraso do 5G", afirmou Faria.

Na entrevista, o ministro voltou a dizer que o 5G chegará às capitais em julho de 2022. "Não é cobertura integral da capital. Mas nós teremos as 27 capitais com 5G. Talvez nas cidades mais distantes só será cumprido o mínimo necessário que consta no cronograma".

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários