Google é processado nos Estados Unidos
Unsplash/Kai Wenzel
Google é processado nos Estados Unidos

Três ex-funcionários do Google estão processando a empresa por violar um de seus principais e mais conhecidos lemas, o "não seja mau". O processo, movido na segunda-feira (29) no Tribunal Superior do Condado de Santa Clara (EUA) foi divulgado pelo portal NPR.

Os três engenheiros de software, Rebecca Rivers, Sophie Waldman e Paul Duke, afirmam na ação que, quando foram contratados, assinaram regras de conduta que incluíam uma cáusula dizendo: "não seja mau". A frase é muito utilizada por funcionários do Google desde o início da empresa, e geralmente faz referência à criação de tecnologias para o bem.

De acordo com os ex-funcionários, eles acreditavam estar se comportando de acordo com esse princípio quando organizaram trabalhadores do Google contra projetos polêmicos da empresa.

Quando a manifestação aconteceu, em 2019, os três foram demitidos por "violações claras e repetidas" das políticas de segurança de dados da empresa. No processo, eles negam ter acessado e vazado documentos confidenciais do Google.

Leia Também

Na ação, os três ex-funcionários pedem por uma indenização por terem sido demitidos por chamar a atenção para o "mal" que o Google estaria causando, apenas cumprindo suas regras contratuais.

"Existem todos os tipos de termos de contrato que um júri deve interpretar: 'não seja mau' não é tão estranho que não pode ser cumprido", disse ao NPR Laurie Burgess, advogada dos engenheiros. "Como o contrato do Google diz aos funcionários que eles podem ser demitidos por não seguirem o lema 'não seja mau', isso deve ter um significado", afirmou. Por enquanto, o Google não se pronunciou sobre o assunto.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários