Spotify anuncia novas regras
shutterstock
Spotify anuncia novas regras

O Spotify anunciou neste domingo (30) que vai adicionar avisos em podcasts que tratam do assunto da Covid-19 após a polêmica envolvendo o programa Joe Rogan Experience. Depois da plataforma permitir que o apresentador continuasse propagando desinformação e discurso de ódio, sobretudo relacionado à pandemia, artistas famosos retiraram suas músicas do Spotify, a começar por Neil Young.

No anúncio de domingo, Daniel Ek, CEO do Spotify, afirmou que a plataforma tenta não assumir a "posição de censurar o conteúdo, ao mesmo tempo em que se certifica de que existem regras e consequências para aqueles que as violam".

"Vocês tiveram muitas perguntas nos últimos dias sobre nossas políticas de plataforma e as linhas que traçamos entre o que é aceitável e o que não é. Temos regras em vigor há muitos anos, mas é certo que não fomos transparentes em relação às políticas que orientam nosso conteúdo de forma mais ampla", escreveu o CEO.

Agora, qualquer podcast que tratar do assunto da Covid-19 será rotulado. Com isso, os usuários poderão clicar em um link para serem redirecionados para uma página do próprio Spotify que reúne informações confiáveis sobre a pandemia. Na versão brasileira da página, podcasts de veículos de imprensa consagrados são indicados. "Esse novo esforço para combater a desinformação será lançado em países ao redor do mundo nos próximos dias", escreveu Daniel Ek.

Além disso, o Spotify também publicou suas regras de forma mais transparente, prometendo que irá colocar o documento em destaque para criadores de conteúdo.

Neste documento, a plataforma afirma que, dentre os conteúdos perigosos a serem evitados, estão:

Leia Também

"Conteúdo que promove informações médicas falsas ou perigosas que podem causar danos offline ou representar uma ameaça direta à saúde pública, o inclui, mas não se limita a:

  • afirmar que AIDS, COVID-19, câncer ou outras doenças graves que ameaçam a vida são uma farsa ou não são reais;
  • incentivar o consumo de produtos alvejantes para curar várias doenças e enfermidades;
  • promover ou sugerir que as vacinas aprovadas pelas autoridades de saúde locais são projetadas para causar a morte;
  • incentivar as pessoas a se infectarem propositalmente com o COVID-19 para criar imunidade a ele (por exemplo, promover ou hospedar 'festas de coronavírus')".

De acordo com o Spotify, criadores de conteúdo que quebrarem as regras podem ter seus conteúdos excluídos e, se a prática persistir, a conta banida. Mesmo desinformando sobre a Covid-19 e quebrando as regras da plataforma, o podcast de Joe Rogan não foi removido. Um memorando interno da empresa, divulgado pela imprensa internacional, afirma que o programa "não atingiu o limite para remoção".

Entenda o caso

A polêmica envolvendo o podcast de Joe Rogan, que constantemente desinforma sobre a Covid-19, começou quando o músico Neil Young deu um ultimato no Spotify, ameaçando deixar a plataforma. Como o podcast permaneceu no ar, o artista removeu todas as suas músicas.

Depois disso, o movimento foi seguido por outros artistas, que também removeram suas músicas, como Joni Mitchell e Nils Lofgren. Mesmo diante da pressão, o lucrativo podcast permanece no ar.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários