Discurso de ódio cresce nas redes sociais
Unsplash/Jenny Ueberberg
Discurso de ódio cresce nas redes sociais

O número de denúncias relacionadas a discurso de ódio na internet cresce em anos eleitorais, aponta levantamento da Safernet, ONG brasileira de direitos humanos no ambiente digital.

Em 2018 e 2020, houve mais denúncias de racismo, lgbtfobia, xenofobia, neonazismo, misoginia e apologia a crimes contra a vida do que em anos anteriores que não tiveram eleições. A Safernet recebe denúncias de sete tipos de crimes que envolvem discurso de ódio; além dos seis citados, a intolerância religiosa foi o único que não seguiu o padrão de aumento de queixas durante anos eleitorais.

Em 2018, misoginia, xenofobia e neonazismo foram os crimes relacionados a discurso de ódio que mais cresceram na internet. Já em 2020, racismo e xenofobia tiveram mais do que o dobro de denúncias quando em comparação com 2019, enquanto as queixas de neonazismo cresceram 840,7% no mesmo período.

"O discurso de ódio nas redes é usado como uma plataforma política para engajar a audiência, dar notoriedade ao emissor e assim trazer mais votos, por isso a abordagem do tema precisa ser estratégica", afirma a psicóloga Juliana Cunha, diretora de projetos especiais da Safernet. "Acreditamos que a educação para qualificar o debate e o incentivo de conteúdos que promovam diálogo são caminhos para se alcançar um ambiente em que se conquiste votos por meio de ideias, não no grito", continua.

Leia Também

Para denunciar crimes relacionados a discurso de ódio na internet, basta acessar o  canal de denúncias disponibilizado pela Safernet.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários