Google afirmou ver condenação como arbitrária
Wagner Pedro
Google afirmou ver condenação como arbitrária

O Google confirmou nesta sexta-feira que foi condenado no México a pagar cerca de 245 milhões de dólares (cerca de R$ 1,26 bilhões) a um advogado mexicano por permitir a publicação de um blog que o apontava, sem provas, de uma série de crimes. Em um breve comunicado enviado à AFP, o Google México confirmou a sanção por “danos não pecuniários” após um processo movido por Ulrich Richter Morales.

“Lamentamos a sentença [...], que consideramos arbitrária, excessiva e sem qualquer fundamento. O Google se defenderá até a última instância”, diz o comunicado.

A nota, emitida em 13 de junho, diz ainda que a decisão “atenta a liberdade de expressão e outros princípios fundamentais, e confiamos que os tribunais federais agirão em estrita conformidade com a lei”.

Morales, que é advogado, acusa o Google de ter permitido a divulgação de um blog que aponta supostos crimes, como lavagem de dinheiro, tráfico de influência e falsificação de documentos.

Entre no  canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia. Siga também o  perfil geral do Portal iG

“Sem palavras. Obrigado. A gigante Google sofre um revés no México: perde uma ação de um milhão de dólares por danos morais”, escreveu o advogado esta sexta-feira na sua conta de Twitter, reproduzindo os comunicados relativos a esta decisão.

O advogado exige, desde 2015, que o Google remova o blog da internet. Diante da recusa, Morales entrou com uma ação por danos morais, ganhando em primeira instância em 2021, decisão da qual o Google recorreu. O caso pode ir até o Supremo.

A empresa americana, com sede em Mountain View, enfrentou processos semelhantes em outros países. Em 6 de junho, um tribunal australiano ordenou que o primeiro-ministro de Nova Gales do Sul, John Barilaro, recebesse US$ 500 mil (cerca de R$ 2,57 milhões) em danos por alegação de ter sido difamado em vídeos de um comediante postados no YouTube, de propriedade do Google.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários