Tamanho do texto

Aparelho tem 4.010 mAh em sua carga completa e muito espaço na memória; fabricante também oferece capinha e película para proteger a tela do celular

Quantum Sky conta com tela LCD IPS com resolução Full HD (1.080 x 1.920 pixels) e 5,5 polegadas
Victor Hugo Silva/Brasil Econômico
Quantum Sky conta com tela LCD IPS com resolução Full HD (1.080 x 1.920 pixels) e 5,5 polegadas

Apresentado como o modelo lançado para fazer a Quantum dar um salto de qualidade, o Quantum Sky é um smartphone intermediário que se aproxima de modelos premium sem abrir mão do preço atrativo. Com boa capacidade de bateria e câmeras que chamam a atenção nas especificações, o celular mostra que a empresa brasileira pretende se posicionar entre as principais opções para consumidores dessa faixa de preço.

Leia também: Galaxy J5 Pro tem ótimo processador, mas peca por tela com baixa qualidade

O Quantum Sky traz uma configuração bem balanceada para os usuários e, em alguns pontos se sai melhor que concorrentes mais caros. O modelo conta com uma tela interessante e possui um acabamento em alumínio que ajuda a torná-lo um pouco mais elegante. Além disso, a fabricante mostra que entende as necessidades dos usuários brasileiros ao oferecer gratuitamente capinha e película para a tela.

Leia também: Moto Z2 Force é celular poderoso, mas tem câmera que não surpreende

Mas a bateria realmente oferece uma boa autonomia para quem compra o aparelho? As câmeras fazem fotos boas? O processador consegue executar jogos com gráficos mais avançados sem travamentos? O Brasil Econômico testou o celular e mostra abaixo os principais pontos positivos e negativos do aparelho. Confira:

Câmeras têm resultados diferentes

Durante os testes, o celular mostrou que não consegue fazer boas fotos a qualquer momento do dia. Com 13 megapixels, abertura de f/2.0 e flash, a câmera traseira entrega resultados razoáveis durante o dia. No entanto, os problemas ficam mais visíveis quando se tenta tirar fotos boas no período da noite, quando as fotos passam a exibir ruído mais intenso e perder um pouco da definição.

Mesmo em ambientes como avenidas, que costumam ser mais iluminadas, as imagens feitas com o Sky não ficam tão bonitas, já que pontos com muita concentração de luz podem estragar a captura. Neste caso, você deverá tomar cuidado para não enquadrar objetos como postes e letreiros eletrônicos para não perder momentos importantes.

A câmera frontal , por outro lado, é capaz de fazer selfies um pouco melhores e com menos granulação. Neste caso, o Sky oferece 16 megapixels, abertura de f/2.0 e flash. Apesar da resolução, a principal explicação para a diferença na qualidade das duas câmeras está nos sensores usados. A câmera traseira conta com sensor Sony IMX258 (o mesmo do LG G6) e a frontal, usa o sensor Samsung S5K3P3 (presente no Xiaomi Redmi Note 3 Pro).

Vale destacar que a câmera traseira também oferece outros modos aos usuários, como embelezamento, panorâmico, profissional, cartões de visitas, tradução de textos impressos e leitor de QR Code e código de barras.

Design mais elegante

Disponível nas cores prata e dourado, o Quantum Sky acerta ao apostar em um visual mais sóbrio com detalhes somente na parte traseira. A área também é usada para a câmera traseira, o ícone da empresa e informações sobre a homologação na Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).

Com bom aproveitamento da área frontal, a tela é acompanhada pelo leitor de impressão digital. Os botões de volume e liga/desliga ficam no canto direito. Apesar de ganhar pontos por conta do acabamento em alumínio aeronáutico na traseira e o Gorilla Glass 3 na área frontal, o Quantum Sky não possui um design próprio.

O modelo é desenvolvido com base em "white label", um modelo em que as empresas buscam parcerias com outras fabricantes para poder comercializar aparelhos com um custo mais baixo. Logo após seu lançamento, o celular da Quantum foi comparado com o Gionee A1 e o Blu Vivo 8, smartphones que contam, exatamente, com o mesmo visual e especificações parecidas.

Tela oferece boa experiência com vídeos

O dispositivo da Quantum tem tela LCD IPS com 5,5 polegadas e resolução Full HD (1.080 x 1.920 pixels). Por contar com um bom aproveitamento da área frontal, a tela oferece uma experiência interessante ao assistir vídeos em plataformas como Netflix e YouTube. O visor também possui um recurso de contraste dinâmico, que permite ajustar a imagem de acordo com o que é exibido para melhorar sua experiência.

Processador razoável e muita memória

O Quantum Sky é mais indicado para quem deseja usar aplicativos mais leves, como redes sociais, por exemplo. Durante os testes, ele não apresentou problemas para executar vários desses apps ao mesmo tempo. No entanto, a qualidade ficou um pouco comprometida ao rodar jogos com gráficos mais elaborados.

O smartphone conta com processador Mediatek Heliotek Helio P10 de oito núcleos rodando a 2,0 GHz, unidade de processamento gráfico (GPU) Mali-T860MP2 e 4 GB de memória RAM. Em relação ao espaço de armazenamento, o celular não tem grandes problemas. Com 64 GB, a memória pode aumentar para até 256 GB com a ajuda de um cartão microSD.

Vale destacar que, apesar de ser dual chip, o aparelho não permite o uso do cartão de memória com os chips de duas operadoras. Isso acontece devido à bandeja híbrida, que só permite o uso de um chip na presença do cartão de memória. Além disso, o celular só usa o padrão nano, aquele em que os chips são menores, em um dos espaços. Para que você consiga usar o segundo chip, é obrigatório ter um chip micro.

Bateria garante um dia com facilidade

Com 4.010 mAh, o smartphone tem uma das melhores baterias para sua faixa de preço. Em um consumo moderado, ele consegue permanecer ligado tranquilamente até o final do dia. De acordo com a Quantum, é possível carregar metade da bateria em cerca de 30 minutos graças ao Pump Express, tecnologia de carregamento rápido da Mediatek.

Android tem modificações desnecessárias

Saindo de fábrica com o Android 7.0 Nougat, o smartphone possui um visual bem parecido com o de aparelhos desenvolvidos pelo próprio Google. Se há um ponto negativo, é a escolha da Quantum de alterar somente os ícones de alguns aplicativos nativos do aparelho. Além de não trazer nada de diferente para os serviços, a decisão pode fazer alguns usuários tenham dificuldade para encontrar o que precisam nos primeiros dias de uso.

Conclusão

O Quantum Sky representa a tentativa de salto da fabricante para um novo nível de qualidade. O aparelho possui um acabamento mais cuidadoso e mostra que a empresa se esforçou para ter um produto mais atrativo. Porém, o uso de "white label" e câmera com fotos noturnas bem decepcionantes ainda não permite colocar a empresa ao lado das gigantes do setor.

Leia também: Galaxy J7 Pro é smartphone intermediário que se garante na câmera e na bateria

Com preço sugerido a partir de R$ 1.349, o Quantum Sky ainda não chega a ser a melhor opção em sua faixa de preço, mas oferece algumas vantagens que podem te fazer mudar de ideia. Entre eles, a bateria de 4.010 mAh, a tela de 5,5 polegadas e a câmera frontal, que redime o aparelho dos resultados ruins da câmera traseira.

Confira a ficha técnica do Quantum Sky:

Chipset e processador MediaTek Helio P10 (MT6755) octa-core de 2,0 GHz
Tela LCD IPS Full HD de 5,5 polegadas (1.080 x 1.920 pixels, 401 ppi)
Câmera traseira 13 megapixels com flash e abertura f/2.0
Câmera frontal 13 megapixels com flash e abertura de f/2.0
Armazenamento 64 GB com suporte para cartão micro SD de até 256 GB
Memória RAM 4 GB
Bateria 4.010 mAh
Sistema operacional Android 7.0 Nougat
Conexões 2G GSM/3G WCDMA/4G LTE FDD
Wi-Fi 802.11 a/b/g/n 2.4 GHz
NFC Não
Impressão digital Sim
Bluetooth 4.0 com Bluetooth LE
Dual chip Sim, com bandeja híbrida
Fone de ouvido Sim
USB MicroUSB 2.0
TV digital Não
Rádio FM Sim
Peso 182 g
Dimensões 15,4 x 7,65 x 0,83 cm
Preço sugerido R$1.349


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.