Grupo artístico explode Lamborghini
Reprodução/Twitter
Grupo artístico explode Lamborghini

Um grupo artístico digital que atende pelo pseudônimo Shl0ms explodiu uma Lamborghini que valia aproximadamente US$ 250 mil no início de fevereiro, criando uma série de 999  NFTs das partes destruídas do carro de luxo. Curiosamente, eles o fizeram em protesto à cultura de enriquecimento rápido predominante no mercado de criptoativos e tokens não fungíveis.

Em setembro de 2021, Shl0ms realizou uma postagem no Twitter lançando a ideia de explodir uma Lamborghini, Para eles, o ato estaria "fracionalizando-a fisicamente", em alusão ao fracionamento de NFTs, onde uma obra pode ter, por exemplo, dez mil cópias.

Na época, eles foram questionados como o carro de luxo seria fracionado. O COO da gestora de investimentos Ritholtz Wealth Management, Nick Maggiulli, perguntou se a Lamborghini seria "destruída caoticamente ou metodicamente desmontada", por exemplo. Rapidamente, o grupo anônimo levantou uma enquete na rede social com duas opções: caos e ordem. Acredito que a opção vencedora seja óbvia.

Como Shl0ms já era uma DAO (Organização descentralizada autônoma) artística digital de sucesso no meio NFT, vendendo cerca de US$ 1 milhão com seus experimentos bizarros de arte conceitual, eles tinham os recursos para a ousada empreitada. Além disso, o projeto chamou a atenção de um investidor misterioso, que os apoiou financeiramente. Eles compraram uma Lamborghini Huracan usada por um pouco menos de US$ 250 mil. Então, levaram o veículo até um local desértico nos Estados Unidos não especificado.

O carro de luxo foi cuidadosamente lotado de explosivos, com a ajuda de um engenheiro especialista no assunto e licenciado pelo governo federal americano, para que ele fosse realmente fragmentado. Ou seja, era necessário que sobrasse uma série de peças para posteriormente virarem os NFTs. No total, o processo envolveu uma equipe de 100 pessoas.

No dia 2 de fevereiro, a Lamborghini foi finalmente explodida. O resultado do experimento artístico você pode conferir abaixo:

Leia Também

Cada peça virou um vídeo rotativo em 4K que foi então registrado como um NFT, resultando em uma coleção de 999 tokens não fungíveis. O projeto será oficialmente lançado no dia 25 de fevereiro, só então o vídeo completo da explosão será disponibilizado. Além disso, somente 888 NFTs serão vendidos abertamente, enquanto 111 deles serão mantidos pela equipe e pelo investidor inicial.

NFTs são crítica ao próprio mercado de NFTs

Sim, parece (e é) um tanto contraditório. O objetivo do grupo é criticar a cultura de enriquecimento rápido que predomina no mercado de NFTs, enquanto eles mesmos produzem e lucram com seus próprios ativos digitais. Em entrevista ao The Block, Shl0ms afirmou que estão cientes disso e que pretendem usar todo o dinheiro ganho para construir um DAO maior, alinhado com suas crenças econômicas e princípios éticos.

A escolha da Lamborghini foi a dedo. Eles destacaram que o carro de luxo é um símbolo de poder aquisitivo. "Além disso, quero deixar claro que odeio 'lambos' e é por isso que quero destruir uma", disse Shl0ms no Twitter. "Na verdade, o DAO só permitirá a participação de pessoas que também odeiam 'lambos', esse será nosso critério", acrescentou o grupo de artistas.

"Esta tecnologia é incrivelmente promissora, há tantas coisas boas que poderíamos fazer com ela, mas há tantas coisas terríveis sendo feitas com ela… São práticas realmente extrativistas, de soma zero", disse o grupo em entrevista do The Block.

Por fim, o grupo destacou que a Lamborghini é uma representação precisa de pessoas que simplesmente entram no meio cripto, comprando e vendendo criptomoedas e ativos digitais, porque isso é considerado hoje uma forma de lucrar muito rapidamente.

Os ideais do Shl0ms remetem ao início do bitcoin (BTC) mais de dez anos atrás: criar um universo econômico descentralizado, usando a tecnologia blockchain em prol da liberdade. Aparentemente, eles também têm um pé no anarquismo.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários