Roteador da Starlink é liberado pela Anatel e já pode ser usado no Brasil
Bruno Gall De Blasi
Roteador da Starlink é liberado pela Anatel e já pode ser usado no Brasil

A Anatel liberou mais um roteador da Starlink no Brasil. Homologado pela Agência Nacional de Telecomunicações , o dispositivo para se conectar à internet via satélite a SpaceX já pode ser comercializado no Brasil. O aparelho recebeu o sinal verde na mesma semana em que a operadora foi oficializada no país.

O roteador foi aprovado pela agência em 11 de maio. De acordo com o certificado, a Anatel homologou o dispositivo fabricado pela SpaceX de modelo UTR-211, que é identificado pelo nome comercial Starlink Router. Os documentos ainda apontam para uma única unidade fabril, localizada no Taiwan.

Entre no canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia 

Outros detalhes foram revelados pelos arquivos da agência. Na lista de especificações técnicas, por exemplo, encontram-se menções ao Wi-Fi 802.11 b/g/n/ac. Também há citações às frequências de 2,4 GHz e 5 GHz.

Algumas fotos do roteador também foram reveladas. As imagens mostram um dispositivo similar ao modelo mais recente, que está em exposição no site da Starlink dos Estados Unidos. No Brasil, a página exibe uma geração mais antiga.

Dos novos equipamentos, resta apenas a antena UTA-212, que ainda não foi homologada. Mas a operadora de internet via satélite da SpaceX teve o receptor UTA-211, de formato circular, homologada pela Anatel em dezembro de 2021. Em novembro, o roteador de modelo UTR-201 foi certificado no Brasil.

Roteador da Starlink é certificado pela Anatel (Imagem: Reprodução/Tecnoblog)
Roteador da Starlink é certificado pela Anatel (Imagem: Reprodução/Tecnoblog)

Esta não é a única boa notícia a quem quer utilizar a internet via satélite da SpaceX. Na semana passada, a operadora atualizou o mapa de disponibilidade e incluiu o Brasil entre os países atendidos. Ainda assim, a cobertura só envolve grande parte de Minas Gerais, Paraná, Rio de Janeiro, São Paulo e Santa Catarina.

Mas esse é apenas o começo, pois a Starlink pretende ampliar a cobertura nos próximos meses. Segundo a operadora, regiões, como o Rio Grande do Sul, devem receber a cobertura no final do semestre. Além disso, existe a previsão de levar a solução ao Espírito Santo e cidades ao norte de Minais Gerais até o fim de 2022.

A expansão será continuará nos próximos meses para outras regiões até 2023. O problema é que tudo isso custa caro: em uma simulação feita pelo Tecnoblog na sexta-feira (13) para São Paulo (SP), o kit de instalação saiu por R$ 3 mil, sem contar o frete de R$ 365 (!). A mensalidade, por sua vez, é de R$ 530.

Óbvio, se você mora em cidade grande, não há vantagem alguma aqui. Para fins de comparação, pago R$ 119,90 por mês para ter 300 MB de internet via fibra ótica no Rio de Janeiro (RJ). Contudo, esta não é a mesma realidade de regiões rurais, por exemplo, cujo acesso de cabeamento é, muitas vezes, bem complexo.

Afinal, até a TIM está utilizando satélites de baixa órbita para levar o 4G a áreas remotas.

Certificado de homologação do roteador da Starlink (Imagem: Reprodução/Tecnoblog)
Certificado de homologação do roteador da Starlink (Imagem: Reprodução/Tecnoblog)

Colaborou: Everton Favretto

Roteador da Starlink é liberado pela Anatel e já pode ser usado no Brasil

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários