Olhar Digital

Gato robô arrow-options
Reprodução/Youtube
Gato robô é utilizado por pessoas que não podem ter animais


A empresa japonesa Yukai Engineering , que já tinha lançado em 2017 um gato robô sem cabeça, trouxe para a CES 2020 uma versão miniatura do bichano – que serve como uma espécie de almofada terapêutica . Quando acariciado, o Qoobo (ou sua versão menor, Petit Qoobo ) se move suavemente e “ronrona” como quem responde ao afago (ele até abana o rabo para dizer “olá” quando ouve a voz do dono).

Leia também: CES 2020: robô-bola da Samsung realiza tarefas domésticas

Por mais bizarro que possa parecer, ele tem uma função: atender idosos que moram em asilos e que não podem receber bichos , ou até pessoas que não podem ter animais de estimação por causa de alergias . A versão em miniatura atende ao pedido dos usuários por um Qoobo que pudesse ser levado para qualquer lugar.


O Petit Qoobo ainda é um protótipo, e deve ser lançado até o final do ano. Espera-se que seja mais barato do que o Qoobo original, que está disponível no Japão e nos EUA por US$ 149 na Amazon . O robô terapêutico foi financiado através de uma campanha no Kickstarter , que arrecadou mais de 12 milhões de ienes (mais de R$ 400 mil).

A Yukai Engineering levou ainda para Las Vegas outro robô companheiro, o Bocco Emo , um ano depois de sua apresentação na CES 2019. O modelo transmite mensagens de voz e texto para pessoas que não possuem smartphones - como crianças ou idosos – e se pode parear com dispositivos conectados da casa. O Bocco Emo deve ser lançado em março de 2020.

    Veja Também

      Mostrar mais