Olhar Digital

Apple China
shutterstock
Aplicativos são removidos da China


A Apple removeu mais de 30 mil aplicativos da App Store chinesa nos últimos meses. Desde junho, a empresa vem excluindo software não licenciados da loja virtual, e a partir de agora exige aprovação do governo chinês antes de disponibilizar um app para usuários no país.

A ação faz parte de uma mudança nas práticas da App Store, e a medida vale para apps pagos ou que ofereçam qualquer tipo de microtransação. Até agora, a empresa permitia que aplicativos fossem disponibilizados enquanto aguardavam aprovação por parte dos órgãos censores chineses.

A maioria dos apps excluídos são games . De acordo com a Bloomberg, a App Store conta agora com 179 mil jogos, sendo 160 mil gratuitos.

A Apple já tinha anunciado que exigiria a licença para manter os apps na loja, e deu um prazo até 31 de julho para desenvolvedores se adequarem às exigências. Assim, no sábado (1), a grande remoção foi colocada em prática, afetando ao todo mais de 30 mil aplicativos.

Faz algum tempo que a China vem fechando o cerco contra jogos em celulares. O governo chinês alega que há um problema grave de vício de jovens em games, e, por isso, passou a adotar medidas restritivas, incluindo limitar o tempo diário permitido para o público jogar no celular , além de exigir nome verdadeiro e documento.

A loja do iPhone era a única que permitia jogos antes da permissão oficial: fabricantes de dispositivos Android já restringem desde 2016 quais apps podem ou não entrar nas suas plataformas.

    Veja Também

      Mostrar mais