Tamanho do texto

Proposta é de remover o controle majoritário do fundador da empresa no caso de ele decidir deixar o comando no futuro

O conselho do Facebook propôs remover o controle majoritário de voto de Mark Zuckerberg no caso de o presidente-executivo e fundador da rede social decidir deixar a administração em algum momento no futuro.

Objetivo, segundo o conselho da empresa, é dar autonomia a uma eventual nova gestão
Reprodução/Facebook
Objetivo, segundo o conselho da empresa, é dar autonomia a uma eventual nova gestão

Em documento enviado na quinta-feira ao regulador do mercado norte-americano, a U.S. Securities and Exchange Commission (SEC), o conselho do Facebook disse que pedirá a acionistas que votem uma proposta que converteria as ações classe B de Zuckerberg em papéis classe A se ele não estiver mais em uma posição de liderança.

Em 2 de junho, Zuckerberg detinha cerca de 4 milhões de ações classe A e por volta de 419 milhões de ações classe B, representando em conjunto cerca de 53,8 por cento do poder de voto total em circulação e 14,8 por cento do total de interesses econômicos em circulação.

A medida proposta - que será votada em assembleia geral anual do Facebook em 20 de junho - tem como objetivo certificar que os poderes de gestão de um futuro chefe do Facebook não sejam limitados, disse o conselho.

"Esses são novos termos para garantir que não permaneceremos uma companhia controlada por seu fundador depois de deixarmos de ser uma empresa liderada pelo fundador", disse o conselho no documento.

    Leia tudo sobre: facebook
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.