Tamanho do texto

Competindo com gigantes como Google e Apple, plataforma direciona mais de 80% da receita a gravadoras e artistas

Serviço de streaming de música ainda não obteve lucro
Divulgação
Serviço de streaming de música ainda não obteve lucro

Daniel Ek, co-fundador do serviço de transmissão de música sueco Spotify, que tem a maior base de assinantes pagos no mundo, disse nesta quinta-feira (9) que não tem intenção de vender a empresa.

Embora investidores acreditem que o Spotify está provavelmente caminhando para uma listagem de ações em bolsa, alguns analistas do setor veem a companhia deficitária como um alvo de aquisição por uma empresa maior de tecnologia com mais recursos em caixa.

"Minha ambição egoísta com o Spotify é só tentar mostrar... que podemos criar uma dessas super empresas aqui na Europa", disse o executivo a jornalistas no simpósio Brilliant Minds, que tem a meta de unir artistas e músicos à comunidade de tecnologia.

Questionado se isso significa que não está disposto a vender a empresa, Ek disse: "Não vou vender, não."

Fundado em 2006, o Spotify direciona mais de 80% de sua receita para gravadoras e artistas e ainda não teve lucro, embora esteja desembolsando recursos para crescer internacionalmente. A plataforma compete com rivais de grandes grupos como Apple Music, Google Play Música e Deezer.

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.