Tamanho do texto

Nova pesquisa promete impressão das tatuagens temporárias que podem ser impressas em casa e aplicadas à pele sem uso de colas ou fitas adesivas

Tatuagens eletrônicas captam sinais vitais do usuário através de sensores biométricos e enviam dados via bluetooth
Divulgação/Universidade de Weseda
Tatuagens eletrônicas captam sinais vitais do usuário através de sensores biométricos e enviam dados via bluetooth

Um novo processo promete fazer tatuagens eletrônicas que poderão ser impressas em casa, em uma impressora comum. Por mais que os desenhos inteligentes para monitorar a saúde não sejam novidade, pesquisadores querem tornar este processo mais acessível.

Leia também: Focada em PMEs, impressora da HP promete até 8 mil páginas em apenas uma recarga

As tatuagens  eletrônicas podem ser utilizadas tanto para a monitoração de sinais vitais quanto para a aplicação de remédios e até para dizer quando uma pessoa já bebeu demais. Para isso, os pesquisadores imprimiram linhas que podem conduzir energia em uma nanofolha.

Por que os sensores biométricos da novidade tecnológica ficariam em contato direto com a pele, é capaz de medir temperatura corporal, pressão sanguínea, batimentos cardíacos e nível de estresse. Através de um chip bluetooth as informações coletadas podem ser enviadas direto para o smartphone do usuário.

Todo o procedimento pode ser feito com uma impressora comum em temperatura ambiente, sem necessidade de um ambiente estéril. Dessa forma, a tattoo pode ser produzida de maneira simples e barata.

Inovações do produto

O filme ultrafino produzido pela Universidade de Weseda, no Japão, é 50 vezes mais elástico e flexível que outras nanofolhas de polímero e, por isso, é confortável na pele. O material tem espessura de 750 nanômetros, ou seja, chega a ser 120 vezes mais fino que um fio de cabelo humano.

Leia também: Com botão "não curtir", Facebook testa reações em suas caixas de mensagens

A equipe de pesquisa também encontrou uma maneira de prender os componentes eletrônicos à tatuagem sem solda, permitindo que seja mais fina e flexível. O material adere à pele sem cola, fita adesiva ou ligação química.

A nova tecnologia pode ser usada principalmente para os campos da medicina, cuidados de saúde e treinamento esportivo. A empresa norte-americana Chaotic Moon já começou a produção. 

Leia também: Aplicativo conta quantas vezes uma mulher é impedida de falar por um homem

Enquanto os desenhos criados pela Chaotic Moon podem durar até um ano, cada um, os modelos mais baratos impressos em casa, que foram testados em pele artificial, permaneceram estáveis por alguns dias.

Além dos usos para a saúde, as tatuagens também têm localizadores e podem carregar até informações de cartão de crédito. Como são temporárias e não apresentam riscos à saúde, podem ser usadas por pessoas de todas as idades.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.