Tamanho do texto

Sistema do YouTube que visa deletar conteúdos que enaltecem o terrorismo tem apagado vídeos que falam sobre o Estado Islâmico de maneira negativa

Alguns criadores de conteúdo relataram até mesmo que tiveram seus canais tirados do ar pelo YouTube
shutterstock
Alguns criadores de conteúdo relataram até mesmo que tiveram seus canais tirados do ar pelo YouTube

Nas últimas semanas, o YouTube anunciou que passaria a tratar os conteúdos extremistas de maneira mais dura. Para isso, passaria a usar seu sistema de inteligência artificial para tirar do ar vídeos que exaltassem o terrorismo, como materiais publicados por células do Estado Islâmico, por exemplo. 

Leia também: YouTube começa a testar contagem de visualizações em tempo real

Na prática, porém, a atitude positiva do YouTube não tem funcionado tão bem: a inteligência artificial tem deletado conteúdos que não deveriam ser tirados do ar, como, por exemplo, materiais jornalísticas que falam sobre o grupo terrorista, mas que não se posicionam a favor. Reportagens e pequenos documentários já foram removidos desde que o sistema foi implementado. 

Alguns criadores de conteúdo do site relataram que tiveram até mesmo seus canais removidos por inteiro pelo fato de veícularem conteúdo informativo sobre o terrorismo , mesmo que o extremisto tenha sido apresentado de forma negativa.

Leia também: YouTube anuncia mudanças na comunicação sobre vídeos monetizados

A batalha da plataforma contra o terrorismo ganhou mais força nesse ano, após problemas com anunciantes devido a estes conteúdos. Empresas que pagavam para exibir anúncios no sites tiveram suas publicidades colocadas ao lado de vídeos de conteúdo extremista. Isso causou revolta entre as companhias, o que fez com que muitas delas deixassem de anunciar na plataforma.

Um fato curioso é que a plataforma de vídeos chegou a oferecer reembolso às empresas, mas, em alguns casos, este valor foi inferior a US$ 3. Entre as hipóteses para o baixo valor oferecido, está a possibilidade de que as páginas tenham recebido um número muito baixo de views, mas que, mesmo dessa forma, a empresa seja obrigada a oferecer um reembolso devido às cláusulas de contrato.

Leia também: Conheça Watch, plataforma do Facebook para competir com YouTube e Netflix

Outras medidas

Além do uso de inteligência artificial, a empresa tentou aplicar também outras medidas para reduzir o impacto destes materiais. Junto com Facebook, Twitter e Microsoft, o YouTube anunciou a criação de um fórum para combater o conteúdo terrorista. O Fórum Global de Internet para Combate ao Terrorismo, como foi nomeado, servirá para o compartilhamento de soluções em tecnologia para a remoção deste tipo de material. Além disso, também haverá pesquisas de contraposição a este discurso.


    Leia tudo sobre: YouTube
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.