Tamanho do texto

Especialista em educação explica que os games são capazes de desenvolver aptidões em crianças e adolescentes e facilitar o aprendizado diário; entenda

Brasil Econômico

Eventos de games têm se tornado um fenômeno no País e atraído mais de meio milhão de pessoas, que além de conhecer as novidades e relembrar clássicos, observam como a tecnologia dos videogames foi capaz de mudar, não apenas as relações sociais, mas também a forma de aprendizado.

Leia também: Xbox One e itens da Apple estão entre os produtos mais pesquisados em outubro

“Há empresas que usam videogame e jogos de tabuleiro em seus processos seletivos, para checarem a atenção e personalidade do candidato”, afirma Jimenez
LittleDogKorat
“Há empresas que usam videogame e jogos de tabuleiro em seus processos seletivos, para checarem a atenção e personalidade do candidato”, afirma Jimenez

Entretanto, os games podem ser um forte concorrente para pais e professores quando o assunto é captar a atenção de jovens com acesso a tantos meios digitais. O psicólogo e CEO da Minds Idiomas, Augusto Jimenez, avalia que proibir a criança ou o pré-adolescente de jogar não é uma boa medida a ser adotada, uma vez que restringir o acesso pode limitá-los a fazer parte de um grupo de amigos, e ainda reduzir a capacidade de atenção visual e seletiva do jovem.

Pensando nisso, Jimenez listou cinco razões para pais e gestores educacionais apoiarem o uso do videogame dentro e fora da sala de aula. Confira:

1. Profissões digitais são as que mais empregam no mundo

Atualmente não é mais tão difícil encontrar instituições que oferecem graduações como Jogos Digitais, Design e Planejamento de Games, em que o futuro profissional poderá atuar como programador, game designer, entre outros. “Como isso tudo começa na infância e na adolescência, os pais podem limitar a quantidade de horas que os filhos jogam, mas jamais proibir. A tecnologia veio para ficar e uma diversão como os games pode ser o futuro profissional do seu filho (a)”, diz o especialista que completa a afirmar que a remuneração nessas áreas varia entre R$ 4 mil e R$ 20 mil.

2. Jogar videogame eleva a atenção visual das crianças

De acordo com estudo da Universidade de Rochester - EUA, publicado na revista Nature, as pessoas que jogam aumentam a capacidade seletiva visual e tendem a ser mais rápidas na tomada de decisão. “Há empresas que usam videogames e jogos de tabuleiro em seus processos seletivos, para checarem a atenção e personalidade do candidato”, disse Jimenez.

Leia também: Moto X4 chega ao mercado brasileiro com câmera dupla e resistência à água

3. Aguça o instinto de investigação

A técnica de gamification – união de educação com jogos – foi desenvolvida há dois anos na Minds. Segundo o especialista, os alunos mudaram de nível 30% mais rápido com o método. A explicação? De acordo com o instituto Buck de educação, ao criar um jogo envolvente o estudante desenvolve a necessidade de saber, isso faz com que ele assimile o conhecimento de forma mais orgânica e leve.

4. Estreita laços entre pais e filhos

O amor aos games pode estreitar laços. Ao reservar uma hora diária para jogar com os filhos, os pais estarão fazendo parte de algo que os filhos têm apreço e ainda podem se sentir juntos.

Leia também: Confira 5 recursos pouco usados no Gmail que podem simplificar seu dia a dia

5. Videogame não é sinônimo de sedentarismo

Games como Just Dance e Guitar Hero provam isso. Além dos movimentos físicos, jogos com este nível de interação estimulam a interação com outras crianças e adolescentes, o que gera o sentimento de pertencimento dessas pessoas a um grupo ou a um núcleo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.