Tamanho do texto

Aplicativo promete exibir somente vídeos amigáveis para crianças, mas também passou a exibir vídeos com teorias de que a Terra seria plana

Após falha ser divulgada, YouTube informou que removeu os vídeos com teorias da conspiração da plataforma
Reprodução
Após falha ser divulgada, YouTube informou que removeu os vídeos com teorias da conspiração da plataforma

O YouTube Kids, versão da plataforma de vídeos voltada para crianças, não está conseguindo cumprir sua principal proposta: filtrar conteúdo para adultos e dar mais tranquilidade aos pais. Nos últimos dias, o aplicativo exibiu para algumas crianças sugestões de vídeos com teorias da conspiração, como a de que a Terra seria plana ou que seria dominada por híbridos reptilianos.

Leia também: Pessoas "mal avaliadas" pelo governo não poderão embarcar em aviões na China

No mínimo curiosa, a situação foi noticiada pelo Business Insider , que revelou a possibilidade de encontrar vídeos sobre alienígenas junto com outros relacionados a brinquedos. Segundo o site, o YouTube sugeriu diversos vídeos com David Icke, famoso por disseminar essas teorias. Com mais de quatro horas, um dos vídeos tem Icke compartilhando as teorias. Entre elas, a de que as pirâmides foram construídas por alienígenas.

Leia também: Boa pedida! Spotify testa recurso de comando de voz para dispositivos iOS; veja

Conforme os vídeos eram reproduzidos, mais sugestões eram exibidas na área de conteúdo relacionado. Ao Business Insider , o YouTube afirmou que em algumas situações é possível não ter controle sobre o que será exibido. A plataforma afirmou que seguirá melhorando a experiência dentro do aplicativo para crianças.

"O aplicativo YouTube Kids é a casa para uma ampla variedade de conteúdo que inclui vídeos enriquecedores e divertidos para famílias", disse a rede social. "Dito isso, nenhum sistema é perfeito e algumas vezes falhamos. Quando isso acontece, tomamos ações imediatas para bloquear vídeos ou, se necessário, canais de aparecerem no aplicativo".

Wikipédia como arma

O que chama a atenção é o fato da falha ser divulgada poucos dias depois de a rede social divulgar que passará a exibir textos da Wikipédia como forma de diminuir o apelo de teorias desse tipo A decisão foi divulgada por Susan Wojcicki, CEO da plataforma durante a SXSW (South by Southwest).

Leia também: Happn cria opção para quem deseja ter um primeiro encontro enquanto corre

Segundo ela, o objetivo do YouTube é apresentar um ponto de vista alternativo para os vídeos que questionam a ciência ou descrevem conspirações conspirações em eventos como a chegada do homem à Lua, por exemplo. "As pessoas ainda podem assistir aos vídeos, mas então elas têm acesso a informações adicionais", resumiu Wojcicki sobre a atualização.

    Leia tudo sobre: YouTube
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.