Tamanho do texto

Os dados foram coletados por meio de um teste de personalidade construído pelo acadêmico Aleksandr Kogan, da Universidade de Cambridge; confira

Brasil Econômico

Na próxima quarta-feira (11), Mark Zuckerberg, CEO do Facebook, terá que prestar depoimento sobre vazamento de dados
Reprodução/Twitter
Na próxima quarta-feira (11), Mark Zuckerberg, CEO do Facebook, terá que prestar depoimento sobre vazamento de dados

Ao menos 87 milhões de usuários do Facebook devem descobrir nesta segunda-feira (9) que seus dados foram coletados pela Cambridge Analytica, pois a empresa promete enviar mensagens às vítimas. De acordo com a rede social, aproximadamente 400 mil perfis brasileiros foram impactados pela violação, portanto, fique atento ao topo do feed de notícias  para saber se é uma delas.

Leia também: Startups de compartilhamento de bicicletas e guarda-chuvas chegam ao Brasil

Embora o número de afetados no Brasil seja significativo, segundo o segundo o jornal inglês The Guardian , o maior número de vítimas da violação de dados do Facebook e stá nos Estados Unidos, uma vez que dos 87 milhões de usuários afetados, 70 milhões são do país norte-americano.

As informações dos perfis foram coletadas por meio de um teste de personalidade chamado “thisisyourdigitallife” [essa é a sua vida digital, em tradução livre] construído pelo acadêmico Aleksandr Kogan, da Universidade de Cambridge, em colaboração com Cambridge Analytica. A plataforma também coletou informações sobre os amigos dos participantes da "brincadeira".

Leia também: Usuários brasileiros já podem solicitar Uber sem ter app instalado no celular

Depoimento

Na próxima quarta-feira (11), o CEO da rede social,  Mark Zuckerberg, terá que prestar depoimento diante do Comitê de Energia e Comércio da Câmara dos Deputados dos Estados Unidos a respeito do vazamento dos dados da empreasa.

A decisão foi tomada depois da confirmação de que a empresa Cambridge Analytica, vinculada à campanha presidencial de Donald Trump, guardou informações indevidamente durante anos, mesmo tendo afirmado que havia eliminado os registros. Vale destacar, que a rede social tem ciência da coleta de dados desde 2015, entretanto, não alertou seus usuários.

Leia também: WhatsApp libera recurso para gravar áudio sem manter tela pressionada no Android

Os parlamentares afirmaram que esta será uma boa oportunidade de conhecer melhor as políticas de privacidade do Facebook e "ajudar todos os americanos a entender melhor o que acontece com suas informações pessoais online". Eles também agradeceram a disposição de Zuckerberg de responder às perguntas do Comitê depois de ter recusado o convite ou enviado representantes em diversas outras oportunidades.

    Leia tudo sobre: Facebook
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.