dados
Agência Brasil
Dados são utilizados para criar classificações sociais


43% dos brasileiros estariam dispostos a compartilhar seus dados particulares sigilosos para garantir descontos ou receberem serviços customizados. O dado é de uma pesquisa realizada pela empresa de cibersegurança Kaspersky, que buscou entender o posicionamento das pessoas a respeito dos social rating

Também conhecidos como sistemas de classificação social, eles trabalham com algoritmos e usam dados do comportamento dos usuários na internet para tomar decisões. Antes, esses dados baseavam decisões tomadas por instituições financeiras e lojas online para aprovar determinadas transações ou compras. Hoje, diversas áreas utilizam o social rating. É como se cada passo que o usuário dá digitalmente contasse pontos para sua classificação.

Um exemplo atual é o combate à pandemia de Covid-19 . Muitos governos no mundo todo têm usado dados da população para acompanhar a movimentação urbana, a capacidade de compras e até o acesso a serviços sociais. 

Leia também: O que é o Anonymous e como eles conseguem vazar dados? Entenda

Apesar de 61% dos usuários brasileiros não saberem ou nunca terem ouvido falar de social rating , 43% deles se mostraram dispostos a fornecer seus dados sigilosos para esse tipo de classificação.

Desses, 70% compartilhariam dados para obterem descontos em compras online, enquanto 44% dariam as informações necessárias para obter monitoramento de segurança no cartão de crédito. 

Quando perguntados se estariam satisfeitos caso o governo monitorasse suas atividades nas redes sociais para manter os cidadãos seguros, 37% dos brasileiros disseram que sim, 33% discordaram e 30% não souberam responder.

Leia também: Um em cada quatro brasileiros ainda não tem acesso à internet, revela pesquisa

Compartilhar dados sigilosos, porém, pode ser bastante arriscado. A Kaspersky alerta que, quando mal utilizados, os sistemas de social rating estão vulneráveis a manipulação artificial , além de diversos tipos de ataques .

"Governos e organizações estão se digitalizando e temos que defender os benefícios que a tecnologia proporciona, porém sem que ela ponha em risco nossa segurança e privacidade. Por isso é preciso estar claro o nível de acesso às informações pessoais e às vidas digitais destes programas de social rating e, o mais importante, como eles processarão e protegerão estes dados. Isso é especialmente crítico na atual situação de isolamento em que vivemos, quando as pessoas não têm outra opção além dos serviços online. É necessário ter o devido controle hoje para não perder o controle amanhã - tanto dos consumidores sobre seus dados, quanto das empresas/governo sobre os dados de terceiros", afirma Thiago Marques, analista de segurança da Kaspersky no Brasil.

Para manter seus dados seguros, a Kaspersky sugere a exclusão de contas e históricos de aplicativos que você não utiliza mais, a atenção a quais serviços estão associados às suas redes sociais e a consciência dos dados que você compartilha online. "Lembre-se que todas as informações postadas nas redes sociais correm o risco de cair nas mãos erradas e/ou poderão ser usadas para autorizar/negar seu acesso a um determinado serviço no futuro", alerta a empresa.

    Veja Também

      Mostrar mais