TikTok
Rafapress/Shutterstock
TikTok rebae críticas do governo dos EUA

O chefe de segurança do TikTok , Roland Cloutier, disse, em um novo processo judicial, que o Departamento de Comércio dos Estados Unidos errou ao descrever a forma como o aplicativo armazena e protege os dados de seus usuários. 

Cloutier afirma que o órgão ligado ao governo norte-americano foi impreciso ao dizer que o TikTok não é separado da versão chinesa do aplicativo (o Douyin ) ou dos sistemas de sua controladora, a ByteDance .

De acordo com o executivo, o software do TikTok é "completamente separado" do sistema do Douyin. Além disso, ele afirma que os códigos-fonte e os dados dos usuários de cada um dos apps são mantidos separadamente. 

Outra afirmação feita pelo Departamento de Comércio é a de que o fato do TikTok alugar servidores de armazenamento da Alibaba Cloud , em Singapura, e da China Unicom Americas (CUA), nos Estados Unidos, representa “riscos significativos”.

O chefe de segurança do TikTok esclarece que o CUA fornece espaço de data center, como prédio e eletricidade, mas não os servidores em si. Além disso, ele afirma que as empresas que fornecem os espaços não têm acesso aos dados neles armazenados, já que esses são criptografados e fragmentados.

Outra preocupação do órgão americano é a de que o TikTok compartilhasse dados dos usuários com o governo da China. Sobre o tema, Cloutier disse que o aplicativo não atenderia a uma solicitação de dados de usuários por parte do governo chinês.

A próxima etapa da briga entre TikTok e o governo dos EUA está marcada para o dia 4 de novembro, quando um juiz definirá se a rede social pode ser banida do país .

    Leia tudo sobre: aplicativo

    Veja Também

      Mostrar mais