Navegação anônima continua coletando dados
Unsplash/ Charles Deluvio
Navegação anônima continua coletando dados

Em uma audiência em San Jose, na Califórnia, na quinta-feira (25), a juíza distrital dos Estados Unidos, Lucy Koh, disse estar "perturbada" com a coleta de dados que o Google realiza de seus usuários. Analisando uma ação judicial coletiva, ela concluiu que as promessas de navegação privada no modo anônimo não passam de uma estratégia. As informações são da Bloomberg.

A ação visa indenizar em US$ 5 mil cada um dos milhões de usuários que tiveram a privacidade comprometida desde junho de 2016. A juíza é famosa no país por questionar gigantes do Vale do Silício .

No processo, o Google é acusado de rastrear o histórico de navegação supostamente privado dos usuários. Cópias dessas informações seriam enviadas para os servidores da gigante de tecnologia.

A advogada que representa a ação, Amanda Bonn, fiz que o modo de navegação anônimo dá a impressão de que os usuários têm mais controle sobre seus dados o que, na prática, não é verdade.

Do outro lado, o Google se defende dizendo que deixa claro que os dados da navegação anônima não são visíveis para outras pessoas que usem o mesmo dispositivo, mas sim para sites visitados e provedores de internet.

Por enquanto, a decisão da juíza foi exigir uma explicação ao Google . "Quero uma declaração do Google sobre quais informações eles estão coletando sobre os usuários do site do tribunal e para que isso é usado", disse Koh aos advogados da empresa.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários