App Voilà Al Artist
Captura de tela
App Voilà Al Artist

O aplicativo "Voilá Al Artist" tem feito bastante sucesso nas redes sociais  ao transformar fotos de pessoas em desenhos 3D . Especialistas de cibersegurança da Kaspersky, porém, alertam que alguns cuidados devem ser tomados.

Ao analisar a política de privacidade do aplicativo, os pesquisadores perceberam que as fotos enviadas para o sistema passam a ser de propriedade da empresa. Isso significa que as imagens podem ser usadas para diversos fins, mas os especialistas acreditam que elas não devem ser vendidas, já que o aplicativo possui um modelo de negócios próprio, ganhando dinheiro com publicidade.

Para Fabio Assolini, analista sênior de segurança da Kaspersky no Brasil, é provável que as fotos sejam usadas para treinar sistemas de inteligência artificial e reconhecimento facial . "Acredito que este tipo de situação será cada vez mais comum e pode ser feita sem problemas, mas há algumas questões de segurança e privacidade que devem ser levadas em consideração, como a transparência no uso dos dados e a responsabilidade no processamento e armazenamento das informações pessoais", alerta o especialista.

Um dos riscos é esses bancos de imagens  vazarem e as fotos serem usadas para desbloqueios faciais que podem até acessar aplicativos bancários. "É importante lembrar que esses dados estão armazenados em servidores de terceiros e são processados na nuvem. Uma vez que as imagens passam a ser da empresa, é ela que tem a responsabilidade de protegê-las e garantir que cibercriminosos não terão acesso ao banco de dados", afirma Fabio.

Antes de baixar um novo aplicativo só porque ele está na moda, é importante ler seus termos de uso e política de privacidade, a fim de saber quais dados são coletados e para quais fins são utilizados. Além disso, é importante entender que o reconhecimento facial é uma senha e, por isso, se suas fotos estão espalhadas pela internet, esse sistema não deve ser utilizado para desbloquear funções importantes, como aplicativos bancários. Confira mais dicas dos especialistas para seguir antes de baixar um app:

  • Verifique quem é o desenvolvedor do aplicativo. Apps falsos costumam usar nomes de pessoas ou falsificar nomes de empresas;
  • Só faça o download em lojas oficiais: Google Play Store no Android e App Store no iOS;
  • Leia as políticas de privacidade, os termos de uso e as permissões antes de distribuir seus dados;
  • Encare o reconhecimento facial como uma senha e não o utilize em todas as plataformas.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários