John McAfee foi indiciado por fraude em caso de investimentos em criptomoedas e evasão fiscal
Rafael Arbulu
John McAfee foi indiciado por fraude em caso de investimentos em criptomoedas e evasão fiscal

O criador do antivirus McAfee, John McAfee, foi encontrado morto em uma prisão em Barcelona depois que a Suprema Corte da Espanha autorizou sua extradição para os EUA . Segundo seu advogado, ele, aparentemente, se enforcou em sua cela depois da decisão da corte.

Conhecido por seu comportamento excêntrico e vídeos, McAfee, 75, foi um pioneiro do software antivírus e indiciado no Tennessee por evasão fiscal . Ele também foi acusado em um caso de fraude de criptomoeda em Nova York.

McAfee foi detido no aeroporto de Barcelona em outubro de 2020.

De acordo com dados divulgados pelo Departamento de Justiça dos EUA à época, McAfee, entre outras a acusações, não teria declarado a renda milionária obtida de atividades como renda milionária obtida de atividades como a promoção de criptomoedas, ou a venda de direitos de um documentário de televisão sobre sua vida.

McAfee não pagou impostos de 2014 a 2018, apesar de ter recebido "receitas conideráveis" de várias fontes. Ele teria ordenado que sua renda fosse depositada nas contas de terceiros, incluindo contas em criptomoedas.

Você viu?

Ele também era acusado de esconder seus bens da administração tributária dos Estados Unidos: imóveis, um iate e um carro, os quais também estariam em nome de outras pessoas.

McAfee fez fortuna na década de 1980 com seu antivírus homônimo, que ainda leva seu nome. Desde então, tornou-se um guru no mundo das criptomoedas e chegou a afirmar que ganhava US$ 2 mil por dia com elas.

O empresário desencadeou toda uma saga na mídia quando, enquanto vivia em Belize, um vizinho seu, um americano de 52 anos, foi misteriosamente assassinado em 2012.

O crime não foi solucionado e, quando a polícia foi ao local para investigar, encontrou-o morando com uma garota de 17 anos e com um grande número de armas em casa. McAfee não perdeu tempo em deixar o país centro-americano, em uma fuga que deixou a imprensa em suspense por mais de um mês.

A família do falecido entrou com um processo por homicídio culposo e, no ano passado, um tribunal da Flórida ordenou que o empresário pagasse mais de US$ 25 milhões de indenização.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários