WhatsApp é terreno fértil para mensagens falsas
Ink Drop/Shutterstock
WhatsApp é terreno fértil para mensagens falsas

Quase 90% de todos os golpes de mensagens falsas que circulam na internet são disseminados no WhatsApp . A informação foi divulgada nesta terça-feira (13) e é fruto de uma pesquisa realizada pela empresa de cibersegurança Kaspersky com usuários do sistema operacional Android .

De todos os links maliciosos enviados em  campanhas de phishing entre dezembro de 2020 e maio de 2021, 89,6% foram disseminados pelo WhatsApp, 5,7% pelo Telegram e 4,9 pelo Viber. Os golpes foram mais registrados na Rússia (42%), Brasil (17%) e Índia (7%).

Para os especialistas da Kaspersky, a popularidade do WhatsApp leva o aplicativo a ser, também, terreno fértil para a disseminação de golpes. Fabio Assolini, analista de segurança da empresa, afirma que o Brasil é o maior alvo de phishing do mundo, e que a fraude não deve ser menosprezada.

"Golpes de mensagens maliciosas no WhatsApp já se tornaram comuns e esta percepção é real. Mas não podemos pensar que eles são inofensivos. Encontramos um phishing que oferecia material escolar gratuito e tivemos acesso à ferramenta que contabilizava quem clicava no link falso. Em apenas cinco dias, foi contabilizado 675 mil cliques. Este ainda foi um exemplo de como os criminosos são criativos e espertos. A empresa usada no golpe havia realizado uma promoção similar um ano antes e os criminosos se aproveitaram disso, pois quem recebeu o brinde na ação real passou a disseminar proativamente o golpe - claro que essas pessoas foram enganadas também e essa situação apenas deve destacar que existem golpes bem feitos", alerta ele.

Confira dicas de como se proteger de mensagens falsas no WhatsApp

  • Desconfie de promoções boas demais para serem verdadeiras;
  • Esquemas de correntes costumam ser usados por golpistas. Promoções reais raramente exigem que o link seja compartilhado com amigos ou grupos e, por isso, não dissemine promoções falsas;
  • Na dúvida, vá até o site oficial da empresa ou órgão para procurar pela promoção ao invés de clicar no link;
  • Mesmo que o link tenha sido enviado por pessoas próximas, como amigos e familiares, cheque antes de clicar;
  • Confira se o link é, de fato, o do site que diz ser. Golpistas costumam usar pequenas mudanças (como trocar um "i" maiúsculo por um "L" minúsculo) para se parecerem com sites reais;
  • Não compartilhe seus dados pessoais em sites recebidos pelo WhatsApp;
  • Mantenha um antivírus instalado e atualizado no seu celular - confira opções gratuitas aqui .

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários