Vídeos são excluídos do YouTube
Unsplash
Vídeos são excluídos do YouTube

Cinco canais brasileiros de extrema-direita no YouTube excluíram, ao todo, 24 vídeos que continham ataques ao Supremo Tribunal Federal (STF), ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) ou aos ministros Luís Roberto Barroso e Alexandre de Moraes após a  prisão de Roberto Jefferson . Ele foi detido por ter atuado em uma espécie de milícia digital que tem feito ataques aos ministros do Supremo e às instituições.

De acordo com o jornalista Guilherme Felitti, fundador do estúdio de análise de dados Novelo Data, os canais que excluíram vídeos após a prisão de Jefferson foram os bolsonaristas Notícias News N.N, José Marcio Opinião, José Marcio Artigo142, ROTA DA NOTICIA e Mauro Fagundes. Juntos, eles acumulam cerca de 1,7 milhão de seguidores.

Segundo o levantamento, os dois canais de José Marcio foram os que mais excluíram conteúdos que atacam os ministros ou as instituições. Sete dos vídeos excluídos por esses dois canais citavam nominalmente Jefferson, como por exemplo um intitulado "Com Ramagem na PF, Sergio Moro e alguns ministros do STF sucumbiriam, diz Jefferson".

Ao invés de excluir vídeos, o canal de Mauro Fagundes optou por torná-los "não-listados", ferramenta do YouTube que faz com que um vídeo só abra para quem possui o link do mesmo.

Apenas no sábado (14), o canal Notícias News N.N excluiu 5 vídeos que citavam o ex-presidente Lula. "Não é comum nos monitoramentos da Novelo Data vídeos escondidos atacando Lula", escreveu Felitti.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários