Meta é o novo nome do Facebook
Reprodução
Meta é o novo nome do Facebook

A Meta concordou em pagar US$ 90 milhões (cerca de R$ 465 milhões, em conversão direta) para encerrar um processo nos Estados Unidos. A ação acusa a empresa de rastrear a atividade de usuários do Facebook mesmo quando eles estão desconectados da rede social. As informações são da Reuters.

A proposta de acordo foi feita pela empresa no Tribunal Distrital de San Jose, Califórnia, e ainda precisa da aprovação de um juiz. O processo foi movido por usuários norte-americanos do Facebook em 2012 e, se o acordo foi aceito, seus dados coletados indevidamente terão que ser excluídos.

Quebra de privacidade

Ainda em 2012, um grupo de usuários acusou o Facebook de violar leis de privacidade ao inserir o botão de "curtir" em sites externos à rede social, rastreando as visitas das pessoas e armazenando cookies mesmo quando elas estavam fora da página do Facebook. Esses dados teriam sido usados indevidamente pelo Facebook para vender os perfis dos usuários para anunciantes.

Em 2017, o caso foi arquivado, mas foi reaberto em 2020. Na ocasião, um tribunal federal de apelações disse que os usuários ainda poderiam tentar provar que o Facebook, de fato, lucrou injustamente e violou a privacidade.

Apesar de negar as irregularidades, documentos mostram que a Meta preferiu propor um acordo para evitar os riscos de um julgamento. O acordo "é do melhor interesse de nossa comunidade e de nossos acionistas e estamos felizes em superar essa questão", disse à Reuters Drew Pusateri, porta-voz da Meta.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários