Meta pode retirar Facebook e Instagram da Europa
Reprodução
Meta pode retirar Facebook e Instagram da Europa

A Meta, dona de Facebook, Instagram e WhatsApp, afirmou que suas redes sociais podem deixar de funcionar na Europa. A empresa disse que pode ser inviável continuar com suas operações se não puder continuar transferindo dados de usuários entre a União Europeia e os Estados Unidos.

A informação apareceu no relatório anual da Meta, enviado à Securities and Exchange Commission (SEC), órgão norte-americano responsável por fiscalizar o mercado de valores.

Atualmente, a União Europeia tem uma das leis de proteção de dados mais avançadas do mundo, com regras mais restritas que as dos Estados Unidos. A Meta, porém, mantém o tratamento de dados dos usuários em solo norte-americano, assim como outras gigantes de tecnologia.

Para atender às leis de proteção de dados de todo o mundo, as companhias se baseiam em acordos internacionais. O acordo mais recente entre EUA e União Europeia, porém, foi invalidado pelo bloco, que argumenta que os EUA não protegem a privacidade dos usuários de acordo com as leis europeis.

Leia Também

Esse acordo foi quebrado em julho de 2020, mas os dados continuam sendo transferidos devido a um mecanismo conhecido como cláusulas contratuais padrão. De acordo com a imprensa internacional, a União Europeia deve decidir nos próximos meses sobre a legalidade deste mecanismo.

"Se não pudermos transferir dados entre países e regiões em que operamos, ou se formos restritos de compartilhar dados entre nossos produtos e serviços, isso poderia afetar nossa capacidade de oferecer nossos serviços, a maneira com a qual ofertamos esses serviços e nossa habilidade de direcionar anúncios, o que poderia afetar nossos resultados financeiros", escreveu a Meta em seu relatório.

À imprensa norte-americana, a companhia disse que "não tem nenhum desejo ou plano de se retirar da Europa", mas que precisa da transferência de dados para continuar operando.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários