Olhar Digital

domínio influenciador site arrow-options
shutterstock
Influenciador ameaçou dono de domínio


Um influenciador de mídia social foi condenado a 14 anos de prisão por conspiração violenta após tentar coagir um estranho a desistir de um nome de domínio na web . A sentença foi anunciada nesta segunda-feira (9), pelo Departamento de Justiça dos Estados Unidos.

Em 2015, o então estudante da Universidade Estadual de Iowa, Rossi Lorathio Adams II, que recebeu o apelido de "Polo", fundou a State Snaps, uma série de contas de mídias sociais que mostravam mulheres seminuas e fotos de festas universitárias. Sua conta no Instagram acumulou 1,5 milhão de seguidores.

Leia também: Passou do Limite? Influenciadora do Instagram é acusada de forjar acidente

No entanto, Adams tornou-se cada vez mais frustrado por não possuir o domínio doitforstate.com, uma referência a uma hashtag popular nas mídias sociais ( #DoItForState ) que o influenciador costumava usar em legendas e comentários para invocar o comportamento que ele publicaria para os fãs online. O nome de domínio com o slogan de Adams era, na verdade, propriedade de um indivíduo de Cedar Rapids, Iowa, chamado Ethan Deyo, desconhecido de Adams.

Ao longo de dois anos, Adams tentou comprar o nome de domínio, mas sem sucesso, porque Deyo não tinha a intenção de vendê-lo inicialmente. Em certo ponto, Deyo pediu US$ 20 mil para vender o nome, mas Adams considerou a quantia muito alta. Então, em vez de desistir, o influenciador voltou-se para a intimidação, enviando emojis de arma para um dos amigos de Deyo e até aparecendo na porta do homem.

Leia também: Navegar na internet: principal fonte de lazer para 54% dos jovens brasileiros

Eventualmente, no verão de 2017, Adams resolveu tentar uma intimidação violenta pessoalmente. Para isso, contratou seu primo, um criminoso condenado chamado Sherman Hopkins Jr., para invadir a casa de Deyo e ameaçá-lo sob a mira de uma arma para transferir o nome. Hopkins aceitou, aparecendo com uma pistola e um taser na casa do homem, usando uma meia-calça na cabeça e óculos escuros para esconder o rosto. Ele tinha também uma lista de instruções de como realizar a transferência para o nome de Adams.

No entanto, as coisas saíram de controle e, após ser baleado na perna, Deyo tirou a arma das mãos de Hopkins e atirou várias vezes no peito do invasor. Os dois homens sobreviveram.

Ainda em 2017, Hopkins se declarou culpado e foi condenado a 20 anos de prisão por interferência e tentativa de persuasão no comércio através de ameaças e violência. Adams, por sua vez, foi julgado em abril deste ano e considerado culpado de conspiração a interferir no comércio pela força, ameaças e violência. Ele foi condenado nesta semana a 14 anos de cadeia.

    Veja Também

      Mostrar mais