Olhar Digital

Amazon
Unsplash/Christian Wiediger
Amazon cria sistema para verificar distanciamento de funcionários


Enquanto procuramos maneiras de cumprir as recomendações de isolamento social, a Amazon  parece ter resolvido o problema de maneira fácil. Isso porque a empresa apresentou um novo sistema, que foi instalado em seus armazéns, que usa uma câmera e inteligência artificial (IA) para fiscalizar a distância entre as pessoas.

Leia também:

Covid-19: aplicativos informam sobre proximidade de pessoas infectadas

Brasil ainda não desenvolve aplicativo de rastreamento do novo coronavírus

Mapa interativo da USP mostra quantos dos seus vizinhos tiveram coronavírus

Conhecido como "Assistente de Distância", o projeto é um sistema de câmeras conectadas que conseguem diferenciar os arredores e calcular o espaço entre os empregados presentes nas instalações.

Todo o monitoramento é feito a partir de telas espalhadas pelo local. É possível verificar em tempo real todo o espaço percorrido pelos funcionários. O sistema calcula um metro e meio entre os empregados – a distância mínima recomendada pelas autoridades de saúde.


Os trabalhadores que respeitam o espaço entre outro indivíduo são destacados com círculos verdes. Casos cheguem muito perto, círculos vermelhos ficam visíveis. De acordo com Brad Porter, vice-presidente da Amazon Robotic , a empresa planeja um código-fonte aberto para que qualquer interessado possa criar sua própria versão do sistema.

Obviamente, o projeto despertou a atenção devido às preocupações com a privacidade dos funcionários. No entanto, a Amazon afirma que o sistema é totalmente automatizado e precisa apenas de energia elétrica para funcionar. Por esse motivo, não há nenhum tipo de armazenamento de informação ou transferência de dados. 

O Assistente de Distância é a tentativa mais recente da companhia para impedir a disseminação do novo coronavírus  (Sara-Cov-2) em seus armazéns. Eles se recusam a divulgar quantos empregados foram contaminados e morreram em decorrência da Covid-19 . No entanto, de acordo com a mídia, pelo menos oito trabalhadores foram vítimas.

Para evitar isso, Jeff Bezos, fundador da Amazon , prometeu gastar US$ 4 bilhões em iniciativas relacionadas à Covid-19 – valor igual ao lucro operacional previsto para este trimestre. O empresário disse que esse dinheiro será investido em testes para os funcionários, equipamentos de proteção individual, limpeza das instalações e salários mais altos para as equipes que continuam trabalhando.

    Veja Também

      Mostrar mais