Olhar Digital

Twitter pode comprar empresa de Jay-Z
Unsplash/Sara Kurfeß
Twitter pode comprar empresa de Jay-Z

O fundador e CEO do Twitter , Jack Dorsey, teria manifestado interesse em comprar o Tidal , do rapper Jay-Z . Segundo fontes ouvidas pela agência de notícias Bloomberg , o empresário de tecnologia usaria a sua empresa de processamento de pagamentos Square para alavancar uma aquisição do serviço de streaming de músicas.

O Tidal foi um dos produtos adquiridos por Jay-Z – ou Shawn Corey Carter, para os não íntimos – em 2015, quando sua empresa, a S. Carter Enterprises, pagou US$ 56 milhões (R$ 292,15 milhões, na conversão direta) para adquirir a Aspiro, a empresa que, até então, era a dona do Tidal e outras aplicações similares não muito conhecidas, como o WiMP (este, falecido e absorvido pelo Tidal).

Você viu?

O serviço chegou com bastante pompa, assegurando músicas e álbuns exclusivos e acordo com nomes bem grandes da música: além do próprio Jay-Z e de sua esposa Beyoncé , o rapper Kanye West e até mesmo a cantora Rihanna foram atrelados em alguma exclusividade com a plataforma.

Eventualmente, ela foi perdendo espaço e, hoje, mesmo a discografia do próprio Jay-Z está disponível em concorrentes como Spotify , Apple Music e Amazon Music . O Tidal ainda oferece as opções HiFi e Masters, que reproduzem música nas faixas de 2304 a 9216 Kbps – uma qualidade que os outros serviços não têm.

Novos investimentos da Square

A Square, por sua vez, vem se dando muito bem, apesar de não figurar muito nas manchetes. Inicialmente oferecendo leitores de cartão que poderiam ser plugados em smartphones por meio da saída de 3,5 milímetros (P2), a empresa hoje conta com um app voltado ao investidor jovem (Cash App), que permite a transferência de valores e a compra de ações. A Square apostou nessa premissa e hoje patrocina o time de eSports 100 Thieves.

As conversas, segundo a Bloomberg, ainda estão em uma fase extremamente primária e, para todos os efeitos, podem muito bem não resultar em nada. A fonte da agência, que pediu anonimato devido à sua proximidade com as partes envolvidas, assegura, porém, que o interesse é genuíno. Entretanto, nem Dorsey , nem Jay-Z (ou suas respectivas marcas) comentaram as informações.

Expandir seu portfólio não é algo novo para Jack Dorsey, e a julgar como a Square vem executando essa prática desde a sua fundação, abrir o leque para um serviço de streaming de música certamente ajudaria a empresa a manter-se alinhada com o seu público mais jovem.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários