celular
Unsplash
Aprenda a escolher o melhor celular para você


O smartphone é o principal dispositivo tecnológico na vida da maior parte dos brasileiros. 55% dos usuários de internet no Brasil  acessam a rede apenas através do celular. O aparelho se tornou indispensável para muita gente com  suas mil e uma utilidades e, por isso, é muito importante escolher um bom modelo na hora de trocar de celular. 


Apesar de essencial, a escolha de um novo celular pode ser tarefa difícil para muita gente. Mas entender as especificações dos aparelhos não deveria ser um bicho de sete cabeças para ninguém e, por isso, te explicamos o passo a passo de como escolher um bom smartphone que se encaixe nas suas necessidades e no seu bolso.

Analisando o desempenho

Ao olhar as especificações de um celular, o monte de termos pode assustar. Mas os dois principais componentes para avaliar o desempenho de um smartphone é o processador e a memória RAM

O processador é como o cérebro do celular, responsável por fazer tudo funcionar. Quanto maior a quantidade de núcleos, melhor ele tende a ser - como se vários cérebros pensassem juntos. Um quad-core significa que ele tem quatro núcleos, enquanto um octa-core tem oito. 

Além disso, outra informação presente nos processadores é o clock interno , que mede, em GHz, a velocidade com que a peça funciona. De novo, quanto maior o número, mais rápido ele tende a ser. 

Esses dois elementos, porém, não definem por si só a qualidade ou velocidade de um processador. A arquitetura com que ele é construído também interfere em sua performance e, por isso, não essa informações servem para nortear a escolha, mas não são certeiras. 

Mas um bom processador só funciona bem se vier acompanhado de uma boa memória RAM, responsável por abrir e rodar arquivos. Quando maior a quantidade de gigabytes em uma memória RAM, melhor. 

Uma dica é avaliar os dois elementos em conjunto. O processador é um dos componentes que mais encarece em celular, mas é um desperdício, por exemplo, investir em um smartphone octa-core que tenha apenas 2 GB de memória RAM.

Analisando a bateria e memória

celular
shutterstock
Escolha um carregador que não precise ficar conectado à tomada o dia todo


Na hora de analisar a bateria de um celular, fica mais fácil. Quanto maior a quantidade de mAh, mais poderosa é uma bateria. Mas isso não significa, necessariamente, que o celular vai conseguir ficar mais tempo longe da tomada. 

Celulares com processamentos poderosos, telas maiores e software mais pesados tendem a consumir mais energia - ou seja, um smartphone de entrada com 3.000 mAh de bateria tende a ter uma autonomia muito maior que um topo de linha também com 3.000 mAh de bateria. Por isso, se você pretende escolher um celular mais premium , cheio de características interessantes, é preciso estar atento a isso e escolher, também, uma bateria poderosa.

A mesma lógica pode ser aplicada à memoria de armazenamento: quanto mais gigabytes, mais espaço para armazenar arquivos, fotos e vídeos. Mas essa escolha vai depender muito do uso que cada pessoa demanda do smartphone. Uma dica é escolher um modelo com entrada para cartão microSD - assim, se a memória acabar, é possível expandi-la com um cartão.

Analisando a câmera

Fazer fotos e fazer vídeos é um dos principais usos que as pessoas costumam dar aos celulares e, por isso, é interessante escolher um smartphone com uma boa câmera. Para isso, vale à pena, sim, comparar a quantidade de megapixels , mas esse não é o único aspecto a se observar em uma câmera. 

celular
Reprodução
Redmi Note 9 Pro tem quatro câmeras traseiras


Atualmente, muitos celulares possuem duas, três ou quatro câmeras, o que parece um grande atrativo. Dependendo do uso, porém, essas características podem servir apenas para deixar o celular mais caro. 

Por isso, é muito importante analisar a função de cada um dos sensores a mais. Um sensor de profundidade , por exemplo, é usado para fazer fotos com efeito de desfoque no fundo, mas isso já é realizado por software em diversos smartphones. Já uma lente macro pode fazer fotos muito legais de objetos próximos mas, na prática, não ser muito utilizada. Então, se atente ao que realmente tem serventia para o seu uso, a fim de não gastar dinheiro com recursos que não serão utilizados. 

Além disso, vale a pena olhar reviews ou mesmo testar a câmera de um celular presencialmente para observar os resultados. Dependendo do software e da fabricante, uma lente com poucos megapixels ainda pode entregar resultados impressionantes.

Analisando o software

Na briga entre Android e iOS , cada pessoa costuma ter um preferido. Mas na hora de escolher um celular, é importante se atentar à versão do sistema operacional , independente de qual ele seja. 

As fabricantes costumam atualizar seus dispositivos em cerca de três versões. Ou seja, se você comprar um dispositivo com Android 10, por exemplo, ele tende a receber novidades e suporte por muito mais tempo do que um comprado com Android 8. Além disso, celulares desatualizados podem representar um risco de segurança de dados ao ficarem obsoletos.

Analisando o design

Além de se atentar às principais especificações de um celular, também é muito importante que ele se encaixe no seu gosto pessoal. Por isso, vale um olhar mais detalhado ao design, tela, cores, posição das câmeras e dos sensores. 

Uma dica é sentir o peso do celular e o conforto ao segurá-lo (tamanho e se ele é escorregadio ou não). Outro ponto a ser observado é a posição de botões e sensores (como o de impressão digital) que precisam ser acionados com frequência - nesse caso, é importante checar se os dedos os alcançam com facilidade.

    Veja Também

      Mostrar mais