Roubos de dados são comuns no Brasil
Unsplash/Markus Spiske
Roubos de dados são comuns no Brasil

Um em cada cinco brasileiros sofreu pelo menos uma tentativa de ataque de phishing em 2020, o que coloca o país como líder mundial em golpes da categoria, aponta um relatório da empresa de cibersegurança Kaspersky, divulgado nesta terça-feira (2).

Depois do Brasil, Portugal, França, Tunísia e Guiana Francesa completam a lista dos cinco países com maior índice de usuários alvos de phishing durante o ano passado. O famoso e antigo golpe é composto por sites falsos  com informações alarmantes (como promoções falsas ou serviços urgentes) que fazem com que as vítimas preencham informações, levando ao roubo dos dados .

2020 foi um ano forte para os ataques de phishing  no Brasil, sobretudo logo no início da pandemia de Covid-19 , entre fevereiro e março. No período, os golpes cresceram 120%, com hackers estimulados pelo aumento do uso da internet, do acesso aos serviços de internet e mobile banking, aumento das compras online, a adoção em larga escala do trabalho remoto e a ansiedade por informações sobre a pandemia.

Durante 2020, dados de muitos brasileiros foram roubados através das mais variadas desculpas, muitas delas relacionadas à Covid-19. Promoções falsas de álcool em gel e sites falsos apra se inscrever no auxílio emergencial ou na fila da vacina são alguns dos exemplos.

"Apesar do alto índice, vale destacar uma queda importante em relação ao levantamento de 2019. Naquele ano, mais de 30% dos brasileiros haviam tentado, ao menos uma vez, abrir um link que levava a uma página de phishing, dez pontos percentuais a mais do que em 2020. Isso mostra que as campanhas e alertas sobre esse tipo de golpe têm deixado as pessoas mais atentas, mas não significa que não precisamos evoluir, pois as estatísticas permanecem muito ruins", comenta Fabio Assolini, analista sênior de segurança da Kaspersky no Brasil.

A diferença entre os ataques de phishing no mundo (13%) e no Brasil (20%) se dá, sobretudo, pela dificuldade dos usuários de reconhecerem mensagens falsas. "Precisamos aprimorar a nossa educação digital. Por exemplo, nossa recente pesquisa mostrou que cerca de 30% dos brasileiros não sabem reconhecer uma mensagem de correio eletrônico falsa. Isto nos torna vulneráveis e propensos a cair em ‘promoções imperdíveis’ e outros golpes online", alerta Fabio.

Abaixo, confira algumas dicas para não cair em um ataque de phishing :

  • Antes de clicar em um link, veja se o endereço do site para o qual será direcionado é verdadeiro. Se a mensagem chegar por e-mail, confira se o remetente é legítimo;
  • Não clique em links suspeitos vindos em e-mails, SMS, WhatsApp ou redes sociais sem ter certeza de que são verdadeiros - mesmo se tiver recebido de um amigo ou familiar;
  • Procure pela promoção ou alerta no site oficial da empresa ou órgão, ao invés de clicar em links recebidos;
  • Se não tiver certeza de que o site da empresa é real e seguro, não insira dados pessoais;
  • Tem um bom antivírus instalado em todos os seus dispositivos.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários