Reprodução/Youtube
"Charlie bit my finger" ficou famoso nas redes sociais



O clássico vídeo " Charlie bit my finger " ("Charlie mordeu o meu dedo", em tradução livre) será excluído do YouTube  no próximo domingo (23), depois de anos de sucesso. O viral tem mais de 881 milhões de visualizações e faz sucesso na internet há mais de 13 anos.

O motivo da exclusão do vídeo é que ele será vendido como NFT , de acordo com informações do The Verge. No próximo dia 22, o viral será leiloado por seus criadores e, então, excluído do canal oficial para garantir a escassez da divulgação. Relembre o momento que fez sucesso na internet:

É claro que o vídeo continuará circulando em outros canais e entre pessoas que já o posseum baixado, mas a exclusão deve garantir que ele seja menos divulgado.

Você viu?

Ainda não se sabe por quanto o vídeo será vendido, mas os valores das transações de itens como esse via NFT costumam ser bastante altos. O meme da garota debochada em frente a um incêndio, conhecido como " disaster girl ", foi vendido ppor R$ 2,5 milhões.

A venda por NFT não torna o novo dono do vídeo responsável por sua propriedade intelectual. Isso significa que o viral provavelmente vai continuar circulando nas redes sociais fora do canal oficial. O que o comprador passa a possuir é o item em si, através de um certificado digital.

O que é NFT?

NFT é a sigla para Non-Fungible Token ou, em português, token não-fungível. Um token é um registro de um ativo em formato digital - neste caso, na blockchain , rede imutável que opera com muita criptografia e permite o funcionamento dos sistemas de criptomoedas, como o bitcoin. "Tokenizar nada mais é do que você pegar um objeto que tem algum valor e transferir ele para o mundo digital em uma blockchain", explica Julieti Brambila, diretora jurídica do Alter, primeira cripto conta do Brasil.

Já um item não-fungível é algo único, que não pode ser substituído. Ou seja, qualquer objeto (real ou virtual) que seja raro e colecionável, como um meme ou um vídeo viral , pode ser replicado em um NFT e vendido dessa forma. Quando uma pessoa compra esse ativo, ela passa a possui-lo, através de um certificado registrado na blockchain.

Por mais que um meme possa ser visto por todas as pessoas, que um vídeo possa ser assistido em qualquer plataforma ou que o  primeiro tuíte de Jack Dorsey (também vendido como NFT ) continue no ar, quem comprar um desses itens passa apenas a ter o status de possuí-lo.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários