Twitter adota nova estratégia
Unsplash
Twitter adota nova estratégia

O Twitter adotou nesta sexta-feira (15) um plano de direitos dos acionistas de duração limitada para se proteger da  oferta de aquisição de US$ 43 bilhões do empresário bilionário Elon Musk.

O CEO da Tesla fez a oferta na quarta-feira (13) em uma carta ao conselho do Twitter, que se tornou pública ao ser divulgada em um documento regulatório da SEC, a CVM americana. Ele argumentou que a empresa de mídia social precisa ser privada para crescer e se tornar uma plataforma de liberdade de expressão.

A estratégia do Twitter é conhecida como "pílula venenosa", para resistir a uma oferta de um potencial comprador. O conselho da empresa cravou o plano de direitos dos acionistas, exercível se uma parte adquirir 15% das ações sem aprovação prévia, com duração de apenas um ano, que visa garantir que qualquer pessoa que assuma o controle do Twitter por meio da acumulação de mercado aberto pague a todos os acionistas um prêmio de controle apropriado.

"O Plano de Direitos não impede que o Conselho se envolva com partes ou aceite uma proposta de aquisição se o Conselho acreditar que é do melhor interesse do Twitter e de seus acionistas", disse a empresa.

De acordo com o plano do Twitter, cada direito permitirá seu titular comprar, ao preço de exercício então vigente, ações adicionais de ações ordinárias com um valor de mercado então atual de duas vezes o preço de exercício do direito. Na oferta enviada à empresa, arquivada pela SEC, Musk afirma que a proposta "é um preço alto e seus acionistas vão adorar".

Falando na quinta-feira (14) em uma conferência TED, Musk disse que não tinha certeza de que "seria realmente capaz de adquiri-lo" . O bilionário acrescentou que sua intenção era também manter "o número de acionistas permitido por lei", em vez de manter a propriedade exclusiva da empresa.

Leia Também

As ações do Twitter caíram 1,7% em Nova York nesta quinta-feira, refletindo a visão do mercado de que o acordo provavelmente seria rejeitado ou fracassado.

O jornal The Wall Street Journal informou anteriormente que a empresa com sede em São Francisco estava considerando as "pílulas de veneno" como estratégia de defesa.

Musk divulgou pela primeira vez sua participação no Twitter no dia 4 de abril, quando se tornou o maior investidor individual da companhia.

"Se o negócio não der certo, já que não tenho confiança na administração nem acredito que possa conduzir a mudança necessária no mercado público, precisarei reconsiderar minha posição como acionista", disse Musk. 

* Com agências internacionais.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários