tecnologias arrow-options
Unsplash/Franck V
Conheça as maiores promessas da tecnologia deste ano


A cada dia, novas tecnologias surgem em todo o mundo, e a maneira como vivemos vai sendo moldada a partir delas. Mas, afinal, quais descobertas realmente vão mudar nosso cotidiano? Foi pensando nisso que a MIT Technology Review , revista do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT), criou uma lista das 10 tecnologias mais inovadoras de 2020. 

Na lista, estão novidades que já existem e outras que ainda estão sendo trabalhadas por pesquisadores. As tecnologias listadas prometem revolucionar desde a internet até a área da saúde, passando pelo mercado financeiro e pelos satélites. Confira a lista:

1. Internet impossível de hackear

Com novas técnicas de invasão, a internet se torna cada vez mais vulnerável a hackers . Mas, com ajuda da física quântica , pesquisadores estão desenvolvendo uma forma de comunicação impossível de ser violada. 

Leia também: Deu ruim! 10 tecnologias que fracassaram na última década

A ideia está baseada na transmissão de pares de fótons através de cabos de fibra óptica, o que mantém todas as informações codificadas. E, embora pareça coisa do futuro, a nova internet pode estar em funcionamento até o final do ano. 

A Universidade de Tecnologia de Delft, na Holanda, pretende conectar inteiramente quatro cidades do país através da internet quântica . O maior desafio é tornar a tecnologia aplicável para distâncias mais longas o que, segundo a líder da pesquisa Stephanie Wehner, deve acontecer até o final da década. 

2. Remédios muito personalizados

Algumas doenças são tão raras que sequer são estudadas. Com a medicina genética adaptada , isso está mudando. Uma tecnologia que já existe e é aposta para um futuro próximo é a de remédios muito personalizados, desenvolvidos para resolverem casos específicos. 

Leia também: Adeus, ano velho: veja 10 tendências tecnológicas que vão bombar em 2020

Mas como criar remédios exclusivos para uma só pessoa? Tudo isso funciona através de novos medicamentos que podem ser digitalmente programados a uma velocidade rápida. Eles são geralmente usados para corrigir falhas genéticas, e conseguem assumir diversas formas, seja na substituição, adição ou remoção de genes. 

3. Dinheiro digital para todos

Já faz alguns anos que moedas digitais circulam pelas cadeias de blockchain . Mas, até hoje, nenhum país transformou oficialmente seu próprio dinheiro em uma moeda digital. 

E é justamente isso que o Banco Popular da China estuda fazer. Até o final deste ano, o país já deve ter criado uma versão digital da sua moeda que deve, em seguida, substituir o dinheiro físico. Seria uma revolução e tanto para o mercado financeiro mundial. 

Leia também: Facebook não pretende desistir de seu projeto de criptomoeda, a Libra

4. Medicamentos que retardam o envelhecimento

Remédios que visam desacelerar o envelhecimento já estão sendo testados em humanos. A ideias deles é eliminar células que são acumuladas em nossos corpos com o passar dos anos, literalmente retardando o envelhecimento. 

Os pesquisadores esperam, então, que esses remédios sejam capazes de impedir que doenças relacionadas à idade se desenvolvam. A expectativa é de que, em menos de cinco anos, esses medicamentos estejam prontos e disponíveis. 

5. Inteligência artificial para descobrir moléculas

Um dos maiores desafios da indústria farmacêutica é encontrar moléculas que realmente sejam possíveis de serem utilizadas na produção de remédios. E é nisso que a inteligência artificial vem ajudar. 

Leia também: Robô ajuda crianças com autismo a desenvolverem habilidades sociais

Com técnicas de aprendizado de máquina , os algoritmos conseguem analisar bancos de dados gigantes que contêm milhões de diferentes moléculas. As informações são cruzadas para gerar novas possibilidades de medicamentos, o que acelera e barateia a produção farmacêutica. 

6. Uma multidão de satélites

A cada dia que passa, a construção e lançamento de satélites se tornam mais otimizadas, o que permite que maiores quantidades desses dispositivos cheguem ao espaço. Isso já é possível de ser feito hoje, a exemplo da SpaceX , mas o processo deve ser ainda mais acelerado nos próximos anos. 

Com milhares de satélites trabalhando em conjunto, o que se espera alcançar é uma rede de internet cada vez mais rápida e inclusiva, alcançando todos os lugares da Terra, inclusive as populações mais pobres e remotas. 

Leia também: Bolsonaro confirma viagem aos EUA para tentar trazer Tesla para o Brasil

7. Supremacia quântica

No ano passado, o Google reivindicou a chamada supremacia quântica , superando em 1,5 bilhão de vezes o computador clássico mais veloz do mundo. Por enquanto, porém, a computação quântica está sendo usada apenas em demonstrações como essas. 

A ideia é que, nos próximos anos ou décadas, essa tecnologia seja utilizada para desenvolver diversas soluções que vão facilitar o cotidiano. Com a capacidade de fazer cálculos tão rapidamente, a computação quântica pode ajudar em diversos setores, como financeiro, médico e ambiental. 

8. Mini inteligência artificial

Hoje, a maior parte da inteligência artificial que circula nosso cotidiano é processada na nuvem, usando grandes capacidades de processamento e enormes bancos de dados. Mas uma nova tecnologia já permite que a inteligência artificial funcione e aprenda independente desses grandes servidores. A ideia é acumular um grande poder computacional em um espaço físico pequeno, em chips de inteligência artificial - que já existem. 

Leia também: Google atinge supremacia quântica, mas o que isso significa? Entenda em 4 passos

Os benefícios dessa tecnologia são vários, desde a velocidade até a privacidade . Com um processamento local, as respostas dos algoritmos ficam mais rápidas, o que pode dar espaço a novidades como tempo de reação mais acelerados em carros autônomos. Além disso, sem o uso da computação em nuvem, sequer é preciso compartilhar dados externamente aos dispositivos, o que melhora a privacidade dos usuários. 

9. Privacidade diferencial

A chamada privacidade diferencial é uma nova técnica usada para manter a privacidade individual em grandes aglomerados de dados estatísticos. Image uma pesquisa do Censo, que contém dados de todas as pessoas de um país. Um vazamento poderia facilmente expor diversos indivíduos, certo? Não com a privacidade diferencial

A ideia da tecnologia é criar “ruídos” nos bancos de dados , mudando características sobre as pessoas sem alterar o resultado estatístico do todo. Os perfis podem mudar em idade, gênero e renda, por exemplo, mas a estatística final continua sendo a mesma. A novidade já existe e será usada no Censo deste ano nos Estados Unidos. 

Leia também: Startup de reconhecimento facial envolvida em polêmicas tem dados vazados

10. Identificando o papel das mudanças climáticas

A última tecnologia inovadora destacada pelo MIT é a possibilidade de identificar o papel das mudanças climáticas nos fenômenos que acontecem atualmente. Juntando uma enorme quantidade de dados climáticos obtidos ao longo do anos com poderosos computadores , cientistas já conseguem prever o impacto das mudanças climáticas no mundo. 

Com essas previsões, é possível adaptar a infraestrutura de cidades, por exemplo, preparando as regiões para os fenômenos climáticos que devem atingi-las.

    Veja Também

      Mostrar mais