Twitter armazena arquivo com dados pessoais de cada usuários
Unsplash
Twitter armazena arquivo com dados pessoais de cada usuários

Localização de todos os lugares nos quais já utilizei o Twitter, histórico de todos os dispositivos com os quais acessei a rede social, 3.905 publicações curtidas, 550 tópicos de interesse e muitas mensagens diretas. Tudo isso apareceu no arquivo que baixei do Twitter para saber quais dados a rede social mantém sobre mim.

Para cumprir a Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD), as plataformas digitais devem fornecer cópias de todos os dados que possuem sobre os usuários caso eles solicitem. No caso das redes sociais, esse acesso é bastante simples. Para especialistas em privacidade, a experiência de download de informações pode ajudar na conscientização sobre privacidade e proteção de dados pessoais.

No caso do Twitter, há muitas informações brutas, como curtidas, compartilhamentos e publicações, além de informações produzidas pelo próprio algoritmo da plataforma com base no meu comportamento digital.

No meu caso, uma lista de 13 páginas e 550 itens mostra "interesses correspondentes a mim com base no meu perfil, atividade e os tópicos que sigo", de acordo com a rede social. São eles que definem as publicações e anúncios que eu vejo. Por lá, porém, encontrei menos precisão do que no caso do Instagram, rede social que eu utilizo muito mais.

Algumas das informações encontradas no Twitter
Dimítria Coutinho/iG Tecnologia
Algumas das informações encontradas no Twitter

O que eu aprendi baixando meus dados do Twitter

Um dos itens que chama a atenção é a presença de todas as mensagens diretas que já troquei no Twitter neste arquivo. Isso foi um lembrete de que a rede social não criptografa de ponta a ponta as conversas e, portanto, elas ficam armazenadas na íntegra nos servidores da plataforma.

Mas o que mais me surpreendeu no download dos meus dados no Twitter foi a possibilidade de entender por que eu recebi cada anúncio. Diferente do Instagram e do Facebook, a rede social mostra o motivo pelo qual cada propaganda apareceu para mim nos últimos tempos - diferentemente das demais informações, os anúncios visualizados são guardados apenas por alguns meses.

Para exemplificar, visualizei recentemente um anúncio de uma rede de fast-food. Nos arquivos com meus dados, o Twitter revelou que isso só aconteceu porque eu estou na faixa etária para a qual a propaganda estava direcionada, porque eu sigo contas similares às do anunciante e porque estou dentro da área geográfica escolhida. Além disso, o Twitter revelou as palavras-chave escolhidas pelo anunciante.

Leia Também

Leia Também

Visualizar essas informações todas me fez entender melhor os motivos pelos quais cada publicação ou anúncio é direcionado para mim. Além disso, me lembrou que a quantidade de dados pessoais que compartilhamos com as plataformas digitais todos os dias é imensa.

Como fazer o download dos seus dados no Twitter

Se você quer ter a experiência de visualizar todas as informações que a rede social tem sobre você, basta fazer uma solicitação e aguardar para que o arquivo seja disponibilizado. Vale ressaltar que o Twitter oferece apenas o download dos dados em inglês.

Atenção! Ao fazer o download, mantenha as informações em um dispositivo seguro. Também é aconselhado deletar esses dados após verificá-los e analisá-los. Se as informações forem expostas no seu dispositivo, a rede social não tem responsabilidade.

  • Acesse o Twitter no computador e clique em "Mais", seguido de "Configurações e Privacidade";
  • Na aba "Sua Conta", clique em "Faça download de um arquivo com seus dados";
  • Aguarde para receber o arquivo; você será avisado através de uma notificação na rede social.


Como ter mais proteção de dados no Twitter

O download dos dados é um processo de conscientização para manter sua rotina de proteção de dados mais ativa. Jaqueline Trevisan Pigatto, pesquisadora em governança da internet na Associação Data Privacy Brasil, aconselha que os usuários olhem com frequência as configurações de privacidade das plataformas e restrinjam o acesso aos dados.

E as próprias plataformas têm ferramentas nativas que ajudam nesse processo. "Acreditamos que todas as pessoas devem saber quais os tipos de dados que compartilham com o Twitter e como nós os usamos. Mais importante ainda, todos devem ter controle significativo sobre isso. Qualquer pessoa ao redor do mundo pode usar, e mudar a qualquer momento, as configurações que oferecemos para que cada um controle as informações que coletamos ou como as utilizamos. Nós queremos empoderar as pessoas a tomarem as melhores decisões sobre as informações que compartilham conosco e garantir que se sintam seguras de que os seus dados estão protegidos", declarou o Twitter, em nota enviada por e-mail. Confira algumas formas de se proteger na rede social:

  • Tenha controle sobre o seu feed: clique  neste link para ver os interesses que os algoritmos do Twitter atribuíram a você. Nessa página, é possível remover assuntos pelos quais você não se interessa, tendo mais controle sobre as publicações que você vê;
  • Tenha controle sobre os anúncios que recebe: clique em "Configurações e Privacidade" e, depois, vá até a aba "Privacidade e Segurança". Na seção "Compartilhamento de dados e atividade fora do Twitter", clique em "Preferências de anúncios". Lá, é possível decidir se você quer ver anúncios baseados em seus interesses ou não. Também é possível saber mais sobre o tema;
  • Escolha se o Twitter pode te rastrear: ainda em "Compartilhamento de dados e atividade fora do Twitter", clique em "Atividade fora do Twitter". Nessa página, dá para escolher se a rede social pode rastrear seu comportamento em outros sites para sugerir anúncios e personalizar a experiência;
  • Escolha se seus dados podem ser compartilhados: na mesma seção, vá em "Compartilhamento de dados com parceiros comerciais", página na qual é possível decidir se seus dados podem ser compartilhados com terceiros pelo Twitter;
  • Decida se o Twitter vai usar sua localização: em "Informações de localização", clicável em "Compartilhamento de dados e atividade fora do Twitter", é possível escolher se o Twitter pode personalizar sua experiência de acordo com os lugares em que você esteve.

Facebook e Instagram

Cada rede social tem sua particularidade na coleta, armazenamento e criação de dados dos usuários. Além do Twitter, fiz o download das minhas informações no Instagram e no Facebook e analisei tudo o que encontrei.

Esta reportagem faz parte de uma série. Confira as demais:

** Dimítria Coutinho atua cobrindo tecnologia há cinco anos, se dedicando também a assuntos econômicos. Antes de trabalhar no iG, era repórter do Ada, um portal de tecnologia voltado para o público feminino. É jornalista formada pela Universidade de São Paulo com passagem pelo Instituto Politécnico de Lisboa.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários