Facebook guarda diversos dados de seus usuários
Unsplash
Facebook guarda diversos dados de seus usuários

Em que fase da vida eu estou, onde moro, quais fotos publiquei ao longo dos últimos 12 anos, com quem conversei - e o que falei - ao longo de boa parte da minha vida, quais comentários fiz e com quem interagi. Se uma pessoa me seguisse, ela saberia menos sobre mim do que o Facebook sabe.

Baixei meus dados armazenados pela rede social e recebi muita informação. Para ser mais precisa, encontrei quase 1 GB de informações compactadas, que podem ser visualizadas em uma única página separada em várias seções clicáveis. Ao todo, são 10.523 páginas de informações - isso sem contar as mensagens, que podem fazer com que o total seja de várias dezenas de milhares, já que em uma só conversa foram mais de três mil páginas.

Com isso, descobri que ao longo de 12 anos eu acumulei 6.064 páginas de curtidas e reações, 943 páginas de comentários, 3.662 páginas de conversas com uma única pessoa, 1.088 sites e apps que mandam meus dados para o Facebook e outros 213 com os quais fiz login utilizando minha conta na rede social.

Alguns dos dados pessoais encontrados no Facebook
Dimítria Coutinho/iG Tecnologia
Alguns dos dados pessoais encontrados no Facebook

Além disso, o arquivo me mostrou que o Facebook também armazena todas as fotos que publiquei, as pessoas com quem já troquei mensagens, todos os eventos que compareci, os termos que pesquisei na rede social ao longo da última década, a minha localização, todos os dispositivos com os quais já fiz login, cookies, endereços de IP e muito mais.

Esse "dossiê" pessoal está disponível para ser baixado por qualquer usuário do Facebook e pode gerar boas reflexões. Na verdade, para cumprir a Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD), as plataformas digitais devem fornecer cópias de todos os dados que possuem sobre os usuários caso eles solicitem. Para especialistas em privacidade, a experiência de download de informações pode ajudar na conscientização sobre privacidade e proteção de dados pessoais.

O que aprendi baixando meus dados do Facebook

A verdade é que se deparar com essa enorme quantidade de informação causa incômodo. Notar que o Facebook armazena todas as minhas conversas no Messenger, por exemplo, fez com que eu me lembrasse que o aplicativo não criptografa as mensagens de ponta a ponta - algo que eu já sabia, mas não me recordava no dia a dia, produzindo muita informação que é armazenada nos servidores da empresa.

Além disso, a experiência faz cair a ficha sobre como estamos inseridos em uma economia que utiliza nossos dados pessoais para tudo, desde nos manter conectados por mais tempo a uma rede social até indicar anúncios bastante específicos e relacionados com as coisas que gostamos.

Quando baixei minhas informações, notei que 1.088 sites e aplicativos armazenam meu comportamento online e compartilham essas informações com o Facebook. Esses dados são usados para personalizar minha experiência na rede social, sobretudo no que diz respeito a anúncios. É o que explica, por exemplo, você receber um anúncio de tênis logo após clicar em vários modelos em uma loja online.

Leia Também

O que fica bastante evidente com essa experiência de download dos dados é que, no dia a dia, muitas vezes não nos damos conta de que nossas informações são nossas e, por isso, devemos ter controle sobre elas. E temos. Para estar em conformidade com leis de dados, as plataformas digitais oferecem ferramentas que permitem que os usuários tenham algum controle sobre seus dados.

Jaqueline Trevisan Pigatto, pesquisadora em governança da internet na Associação Data Privacy Brasil, aconselha que os usuários olhem com frequência as configurações de privacidade das plataformas e restrinjam o acesso aos seus dados.

Se você é uma das pessoas que clicou em "li e aceito" - talvez até sem ler - quando abriu os termos de uso do Facebook há mais de 10 anos e, no cotidiano, se esquece de checar se suas informações estão sendo coletadas e utilizadas para fins com os quais você concorda, está na hora de ficar de olho.

O download dos dados é um bom primeiro passo para ter dimensão do tamanho da questão. Depois de despertar essa consciência, é hora de aprender a cuidar das suas informações. Confira algumas dicas abaixo.

Como fazer o download dos seus dados no Facebook

Atenção! Ao fazer o download, mantenha as informações em um dispositivo seguro. Também é aconselhado deletar esses dados após verificá-los e analisá-los. Se as informações forem expostas no seu dispositivo, a rede social não tem responsabilidade.

  • No Facebook, clique no menu e depois em "Configurações e privacidade";
  • Toque em "Configurações";
  • Clique em "Suas informações no Facebook";
  • Clique em "Ver" na aba "Baixar suas informações";
  • Selecione o formato e o período e solicite o download;
  • O arquivo pode demorar alguns dias para ficar pronto; você será notificado no Facebook quando ele estiver disponível para download.

Como ter mais proteção de dados no Facebook

Conheça a seguir algumas ferramentas que vão te ajudar a estar no controle das suas informações pessoais. Vale lembrar que esses recursos devem ser visitados frequentemente pelos usuários.

  • Reduza o compartilhamento de dados: em "Suas informações no Facebook", clique em "Atividade fora do Facebook". Depois, clique nos ícones dos sites para abrir uma página mais completa, na qual é possível ter acesso à lista de sites e aplicativos que compartilham suas informações com o Facebook. Em "Desconectar histórico", você impede que os dados sejam compartilhados;
  • Entenda mais sobre como seus dados são coletados e usados: ainda em "Suas informações no Facebook", clique em "Gerenciar suas informações". Nesta página, é possível clicar em diversas configurações de privacidade e entender mais sobre cada uma delas;
  • Cuide dos seus dados pessoais: clique no menu, depois em "Configurações e privacidade" e, em seguida, em "Verificação de privacidade". Nesta página, o Facebook mostra alguns dos principais aspectos que você pode controlar para proteger seus dados. Leia atentamente e configure os recursos da forma que preferir;
  • Gerencie sua localização: em "Configurações", clique em "Localização" e decida se quer manter seu histórico ativo;
  • Decida quem vê o que você posta: ainda em "Configurações", clique em "Privacidade" e revise todos os itens, decidindo quem pode se conectar com você, como as pessoas podem encontrar seu perfil e quem pode ver suas publicações.

Instagram e Twitter

Cada rede social tem sua particularidade na coleta, armazenamento e criação de dados dos usuários. Além do Facebook, fiz o download das minhas informações no Instagram e no Twitter e analisei tudo o que encontrei.

Esta reportagem faz parte de uma série. Confira as demais:

** Dimítria Coutinho atua cobrindo tecnologia há cinco anos, se dedicando também a assuntos econômicos. Antes de trabalhar no iG, era repórter do Ada, um portal de tecnologia voltado para o público feminino. É jornalista formada pela Universidade de São Paulo com passagem pelo Instituto Politécnico de Lisboa.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários